Categoria: Finanças (page 1 of 3)

Imposto de Renda Pessoal: Tudo sobre o imposto de renda de Pessoas Físicas

No território espanhol, as pessoas singulares devem pagar o imposto de renda das pessoas singulares, também conhecido por suas iniciais IRPF; tributo que é considerado uma fonte significativa de renda para os cofres do estado.

Mas a verdade é que existem muitas dúvidas sobre o assunto, apesar de sua onipresença nas obrigações tributárias de muitos contribuintes, entre os quais os independentes e empregados, entre outros. Portanto, se você já está envolvido em uma atividade de trabalho ou pensa em iniciar uma, é aconselhável descobrir o imposto e sua natureza, bem como os prazos e métodos de conclusão.

ITCMD

O que é exatamente o imposto de renda pessoal?

imposto de renda pessoal (imposto de renda pessoal) é um imposto pessoal direto, pois tributa diretamente a renda obtida por pessoas físicas com residência habitual em território espanhol ou por pessoas que, cumprindo uma das circunstâncias incluídas no O artigo 10 da Lei 35/2006 tem residência no exterior. Também é progressivo, uma vez que o valor a ser pago é proporcional ao valor dos retornos (quanto mais renda, maior o valor do imposto). Ou seja, seus princípios são os de igualdade, generalidade e progressividade. Opõe-se ao imposto sobre as sociedades , que tributa os rendimentos de pessoas jurídicas .

Confira também: Imposto ITCMD

 Definição: Imposto de renda pessoal

A Lei 35/2006 define o imposto de renda pessoal conforme citado abaixo: “O imposto de renda pessoal é um imposto pessoal e direto que tributa, de acordo com os princípios de igualdade, generalidade e progressividade, a renda das pessoas físico de acordo com sua natureza e suas circunstâncias pessoais e familiares ”.

Em outras palavras, a lei estabelece que freelancers e funcionários devem pagar um imposto ao Tesouro pelos retornos das atividades econômicas, no caso dos primeiros, e pelos retornos dos trabalhos nos últimos, ou seja, pelos rendimentos obtidos ao executar uma atividade de trabalho. Porém, como nem todos ganham o mesmo, não seria justo que todos eles tivessem o mesmo tipo de imposto aplicado e, portanto, que a proporção de pagamento do imposto fosse a mesma.

Além disso, deve-se notar que, apesar de ser um imposto que tributa a renda obtida durante o exercício fiscal, não é (apenas) cobrado após o término desse período, mas que a Agência Tributária está entrando em ciclos mais curtos. Mas como? É aqui que as retenções entram em jogo .

O imposto de renda pessoal das pessoas empregadas

Embora os funcionários tenham que apresentar a famosa e, ao mesmo tempo, temida, declaração de renda para cada ano fiscal tributado, a verdade é que, mês após mês, eles estão pagando o imposto. No caso deles, são os empregadores que, do lucro bruto, retêm a cada mês o imposto de renda correspondente a cada folha de pagamento, mesmo que posteriormente o inscrevam na Agência Tributária trimestralmente.

Ou seja, retenções na conta são adiantamentos do imposto anual total a ser pago ao Tesouro. Dessa forma, a Agência Tributária garante o pagamento do imposto e os funcionários não precisam enfrentar uma quantia muito maior no final do ano. Eles não são determinados aleatoriamente, mas são calculados com base em uma série de estipulações em que não apenas o salário bruto anual obtido (desempenho no trabalho) é contemplado, mas também um conjunto de circunstâncias pessoais (incapacidade, número de filhos, status). civil etc.).

É importante indicar que essas estipulações podem variar dependendo do ano fiscal. No que diz respeito ao cálculo de retenções, os profissionais são frequentemente utilizados devido à sua complexidade, embora também possam ser calculados por meio de ferramentas criadas para esse fim, como o Serviço de Cálculo de Retenção. disponibilizado à Agência Tributária.

Terminado o exercício, o contribuinte é obrigado a apresentar a demonstração do resultado , onde é estabelecido se ele ainda não pagou imposto de renda pessoal ao Tesouro ou se, pelo contrário, o Tesouro deve devolver dinheiro. A obtenção de um ou outro resultado dependerá, em grande parte, de se as retenções foram ajustadas ao imposto de renda pessoal que a pessoa em questão teve que pagar. Embora nem todas as pessoas sejam obrigadas a enviar a declaração: se os retornos vierem de um único pagador e não excederem 22.000 euros brutos por ano, não será necessário enviá-la .

Os prazos estabelecidos para a apresentação deste documento na Agência Tributária decorrem entre abril e o final de junho ou o início de julho do ano após a liquidação. De qualquer forma, para que não haja confusão, o Tesouro apresenta anualmente o calendário geral do contribuinte, onde são estabelecidos os termos desta e de outras declarações e apresentações de documentos.

Quanto à forma em que é apresentada, a Agência Tributária disponibiliza o portal Renta WEB aos contribuintes , que serve tanto para obter o rascunho da declaração quanto para prepará-lo e enviá-lo. Esta apresentação pode ser online, embora também seja possível através de papel impresso.

O imposto de renda pessoal IRPF

Os trabalhadores independentes e as PME consideradas pessoas físicas também precisam pagar o imposto de renda pessoal, mas a tarefa é um pouco complicada. Primeiro, esses trabalhadores por conta própria e PMEs pagarão um ou outro imposto de renda pessoal, dependendo do regime tributário que lhes corresponde, e devem enviar ao Tesouro trimestralmente uma declaração para pagamento por conta do imposto (modelos 130 ou 131). Como no caso dos assalariados, esses pagamentos por trimestre servem para proceder à liquidação fracionada do imposto.

Os regimes tributários são três:

Regime normal de estimativa direta

Um dos requisitos para se qualificar para esse esquema é ter faturado mais de 60.000 euros líquidos no ano anterior. Outra não deve ser obrigada a pagar por módulos ou a renunciar a esse regime. Para calcular o imposto de renda pessoal que deve ser pago, você deve primeiro calcular qual é o retorno líquido, pois isso constituirá a base tributária do imposto. Para isso, as despesas dedutíveis são subtraídas do resultado. As parcelas indicadas pela Agência Tributária para o exercício fiscal são aplicadas ao resultado obtido. A autoavaliação trimestral do imposto é realizada neste caso com o modelo 130.

Regime simplificado de estimativa direta

Somente os trabalhadores independentes que não pagam por módulos e obtiveram menos de 60.000 euros líquidos de benefícios no ano fiscal anterior podem se beneficiar desse esquema. No retorno líquido, calculado conforme estimativa direta normal, são aplicadas as parcelas estabelecidas pelo Tesouro. A conclusão trimestral do modelo 130 também é necessária.

Esquema de estimativa direta objetiva ou por módulos

Nesse caso, o pagamento do imposto não é calculado diretamente no retorno líquido. Em vez disso, um valor fixo a ser tributado é determinado com base em uma série de indicadores (módulos): quantidade de pessoal assalariado, área das instalações, consumo de energia elétrica, etc.

No entanto, nem todos os freelancers podem optar por esse esquema; para se qualificar para isso, eles devem atender a uma série de requisitos (como não exceder um certo volume de retornos completos) e, além disso, a atividade que executam deve ser incluída na Ordem do Ministério das Finanças e Administração Pública do ano fiscal que corresponde. O imposto de renda pessoal por estimativa direta também deve ser declarado trimestralmente no modelo 131.

Como pode ser visto, a tributação de acordo com um ou outro regime pode influenciar positiva ou negativamente o imposto de renda pessoal que corresponde ao Tesouro. Portanto, ao se registrar no Tesouro com os modelos 036 ou 037, é importante levar em consideração os prós e os contras de cada regime e selecionar o mais adequado no formulário.

Além disso, alguns freelancers também precisam incluir a retenção de imposto de renda pessoal em suas faturas , embora as circunstâncias em que são forçados a fazê-lo estejam regulamentadas no artigo 95 do Decreto Real 439/2007. Esses tipos de retenções não são comunicados ao Tesouro pelos trabalhadores independentes que os aplicam às suas faturas, mas pelo pagador, e são feitos pelo modelo 110 ou 111.

Mas quais autônomos são exatamente obrigados a fazer essas retenções e quando? Os trabalhadores independentes que exercem uma atividade profissional devem aplicar uma retenção de 15% ou 7% (se forem novos profissionais ou pertencerem a determinadas atividades profissionais) nas faturas emitidas para outros trabalhadores independentes, PME ou entidades. Isso nunca se aplica a faturas para indivíduos. Algumas atividades do módulo também aplicam retenções de 1% em suas faturas. Aqueles que em 70% de suas faturas do ano anterior incluíram retenções na fonte não são obrigados a fazer as declarações de imposto de renda trimestrais.

 Conselho

As faturas são um documento fundamental da contabilidade que deve incluir uma série de campos específicos estipulados por lei. Se na sua empresa você precisar emitir faturas, mas não souber a estrutura que elas devem seguir, no Guia Digital, você encontrará um modelo de fatura para download no Word e Excel para adaptá-lo às suas necessidades.

Os trabalhadores independentes, assim como os indivíduos, também devem proceder à declaração anual do imposto de renda, embora o preenchimento deste documento possa ser uma tarefa um pouco mais complicada. No entanto, conhecer o regime tributário ao qual pertence, bem como saber quais despesas são dedutíveis, facilita muito a tarefa. Os períodos autorizados para a apresentação da declaração, bem como o modo de fazê-la, coincidem com o dos trabalhadores empregados por terceiros.

 

Como descobrir o código do Banco Itaú?

O código banco Itaú é um número que foi criado com o intuito de diferenciar esse banco dos outros em uma transação bancária. Existem dois tipos de códigos diferentes para um mesmo banco, e ambos possuem a mesma finalidade.

O que é código banco Itaú?

O termo código banco foi intitulado como uma forma de identificar cada uma das instituições bancárias existentes no Brasil. Cada código é composto por três dígitos numéricos, sendo o código banco Itaú representado pelos números 341.

Esses números querem dizer que o banco em questão está registrado no Banco Central com essa identificação. E é necessário informar o código toda vez em que for realizar uma transação bancária para outro banco diferente.

Como usar o código banco Itaú?

Para realizar uma transferência para outra instituição bancária, tanto TED quanto DOC, é necessário informar alguns dados essenciais do destinatário como:

  • Nome
  • CPF ou CNPJ
  • Conta
  • Agência
  • Código banco 

Suponhamos que Maria tenha conta no banco Bradesco e precisa realizar uma transferência bancária para o Itaú. Na hora de preencher os dados serão solicitadas as informações pessoais do beneficiário e será necessário informar o código banco Itaú para que o Banco Central consiga realizar a compensação bancária.

Código banco Itaú e outros códigos

Na realidade existem dois tipos de códigos para cada instituição bancária, o de três dígitos que é o código COMPE e o de oito dígitos, que é o código ISPB. Os dois possuem a mesma função, que é realizar a compensação bancária.

  • COMPE: Sistema de Compensação de Cheques e Outros Papéis
  • ISPB: Identificador de Sistema de Pagamentos Brasileiros

Mesmo tendo a mesma função, ao ter que informar o código banco será possível escolher apenas um na operação, e o mais comum a ser utilizado é o código COMPE. Mesmo raro, pode acontecer de o banco que procura não apareça na lista dos códigos de três dígitos, sendo necessário procurar na lista do ISPB.

Confira alguns dos códigos bancos das principais instituições:

  • Banco Itaú: 341 e 60701190
  • Banco do Brasil: 001 e 00000000
  • Caixa Econômica Federal: 104 ou 00360305

O que acontece se o código banco Itaú for informado errado?

Caso o código banco Itaú for digitado errado como, por exemplo, digitar sem querer um número a mais ou trocar um dos números acidentalmente, os dados informados irão ser analisados pelo Banco Central e o dinheiro será devolvido para a conta original.

 

Como saber se o banco é seguro

Na hora de abrir uma conta ou fazer qualquer tipo de investimento, muitos se perguntam sobre a segurança de alguns bancos e instituições financeiras. Mas como é possível ter esse conhecimento sobre os bancos do Brasil?

Com o desenvolvimento da internet, ficou mais fácil cometer golpes e fraudes contra as pessoas. No meio digital existem algumas instituições que prometem mundos e fundos, mas no fundo são fraudulentas. Como se precaver?

Primeiramente, se você precisa saber a idoneidade da empresa, pesquise nos órgãos que regulam s atividades dos bancos. Um deles é a CVM ou Comissão de Valores Mobiliários, no qual há uma lista de instituições financeiras e bancos do Brasil que estão autorizados e regulados e podem funcionar plenamente.

Caso não esteja, entre no cadastro geral. Por isso é importante que você pesquise bastante antes de aplicar seu dinheiro em qualquer banco.

Bancos digitais: eles são seguros?

Cada dia que passa surgem novos bancos do Brasil, na modalidade digital. No entanto, a pergunta que ainda passa pela cabeça de muitas pessoas é: esses bancos são seguros?

Os bancos digitais surgiram com o objetivo de facilitar a vida das pessoas. Em alternativa ao bancos tradicionais, eles propõem oferecer serviços mais eficientes, práticos e de baixo custo, diferente das tarifas que são cobradas pelos bancos mais conhecidos.

Os problemas que porventura venham a surgir com esses bancos referem-se ao vazamento de informações dos clientes por conta da invasão de hackers ou a ausência de suporte para as contas digitais. 

Fora isso, que é altamente grave, o banco que tiver uma baixa credibilidade diante dos clientes deve ser riscado da sua lista de bancos do Brasil que merecem ter seu investimento.

Bancos digitais x Fintechs

Embora as preocupações com os bancos digitais sejam diferentes dos bancos tradicionais, todos estão sujeitos ao fisco do Banco Central. No entanto, as exigências são maiores nos bancos do que com as instituições financeiras.

Isso porque o impacto da hipotética quebra de um banco grande dentro do sistema financeiro do país é muito maior do que a quebra de um banco digital.

Como a regulação das fintechs é mais branda, as obrigações legais delas também são mais amenas, o que as possibilita oferecer produtos mais acessíveis ao público e com um atendimento mais ágil.

Portanto, antes de investir em qualquer banco ou instituição financeira, pesquise bastante sobre ela, veja comentários de clientes satisfeitos e insatisfeitos e saiba se o banco é seguro ou não.

 

Saiba tudo sobre o Banco Bradesco

O banco Bradesco é uma das maiores e mais importantes instituições financeiras de nosso país e de todo o mundo.

O perfil dos clientes atendidos é muito diferente entre eles, isso porque, o banco Bradesco possui uma enorme variedade de serviços e está presente em todas as regiões do Brasil. 

E pensando que talvez você não conheça algumas características do banco, que nós reunimos as principais informação para você ficar antenado. 

História do banco Bradesco

O banco Bradesco existe em nosso país há 76 anos, fundado em Marília, interior do estado de São Paulo.

Esse sempre foi um banco que ganhou destaque por suas inovações. Para te dar um exemplo muito interessante, ele foi um dos primeiros bancos da América Latina que começou a utilizar computadores e disponibilizar cartões magnéticos para seus correntistas.

Banco Bradesco em números 

Atualmente o banco Bradesco possui mais de 4.500 agências espalhadas pelo Brasil. E o número de contas é surpreendente, mais de 30 milhões de contas correntes.

Principais produtos e serviços oferecidos pelo banco 

Já falamos da história e dos números, nada melhor do que conhecer os principais produtos e serviços que o Banco Bradesco oferece aos seus clientes, veja a seguir: 

  • Empréstimos e financiamentos 
  • Financiamento de Imóveis;
  • Financiamento de Carros;
  • Financiamento de Semestre da faculdade;
  • Financiamento de Material de construção;
  • Linhas de empréstimos;
    • Limite de crédito especial (crédito pré-aprovado que fica disponível na conta corrente);
    • Crédito consignado (empréstimo que é descontado direto no salário);
    • Microcrédito (oferecido para pequenos empreendedores).

Todos esses serviços estão sujeitos a análise de crédito e a consulta aos órgãos de proteção ao crédito (SPC e SERASA) são realizadas. Além disso, para solicitar cada tipo de serviço você precisa se enquadrar no perfil que o banco considera ideal.

Além dos serviços citados acima, o Banco Bradesco disponibiliza diversas formas de investimentos para correntistas que estão sem dívidas com o banco e desejam investir o seu dinheiro.

Como conseguir cupom de desconto das suas lojas favoritas

Os hábitos de consumo das pessoas mudou radicalmente após a chegada da internet. Com ela, veio novas formas de consumir produtos e fazer compras, e isso possibilitou a chegada do cupom de desconto.

As compras por impulso tem sido substituídas por ações mais conscientes. Isso porque as pessoas têm se preocupado com os custos que irá ter ao adquirir determinado produto.

Por isso, o cupom de desconto funciona como uma forma de incentivo, para aquecer as compras e fazer com esse esse cliente compre, mesmo que não esteja precisando realmente daquela mercadoria.

As idas às lojas físicas permanecem, uma vez que muitas pessoas ainda não utilizam a internet. No entanto, as facilidade em poder comprar online com o cupom de desconto é uma realidade muito bem vinda pelos usuários da internet.

Como conseguir cupom de desconto para comprar?

Essa nova alternativa de compra com redução do valor total que é o cupom de desconto, é uma das formas encontradas por muitas pessoas para economizar.

De aplicativos de comida e transporte à lojas de roupa e passagens aéreas, é possível encontrar cupom de desconto e pagar bem menos.

Por isso, vamos te dar algumas dicas sobre como você pode conseguir esses cupons. A maioria dos sites de e-commerce já oferecem essa possibilidade. Ademais, você pode digitar no Google “Cupom de desconto”, juntamente com o nome do estabelecimento do qual você quer fazer a compra.

Outra opção é ser mais direto e colocar o nome do produto que você quer comprar, juntamente com “cupom de desconto“. Quando você for finalizar a compra, utilize o código e ganhe o seu desconto diretamente no site da loja.

Existem alguns sites no qual você pode encontrar alguns cupons e assim, economizar nas compras. São eles: Cuponeria, Cuponomia, Méliuz, Picodi, Groupon, entre outros.

Quem pode solicitar um empréstimo pessoal?

O empréstimo pessoal é um assunto muito conhecido, especialmente por aqueles que estão precisando de dinheiro rápido. No entanto, apesar de famoso, ainda há uma série de perguntas que rondam o assunto.

Para quem não sabe, o empréstimo pessoal se trata de um acordo firmado entre uma instituição financeira e uma pessoa física. Nele, a instituição empresta dinheiro, para que a pessoa pague após, aos poucos e com juros.

Mas, afinal, quem pode solicitar um empréstimo pessoal? Que tal descobrir?

Empréstimo pessoal: quem está apto a solicitar

Para início de conversa, qualquer um está apto a solicitar um empréstimo pessoal, seja pensionista, trabalhador autônomo, pensionistas e, até mesmo, aqueles que estão com o nome negativado.

No entanto, é preciso que você saiba que os valores sobre taxas e juros cobrados mudam de acordo com o seu status. Quando se está negativado, por exemplo, esses juros tendem a ser maiores.

Além disso, algumas instituições financeiras podem exigir que você comprove renda para que o empréstimo pessoal seja aprovado. No entanto, isso não é regra.

Outras, por exemplo, podem exigir algum bem como garantia. Muitas pedem imóveis, terrenos ou carros como uma garantia de que você irá pagar o empréstimo pessoal. Nessas há, inclusive, juros mais baixos devido ao risco.

Devo solicitar um empréstimo pessoal?

Analise se é realmente necessário solicitar um empréstimo. Afinal, apesar de ser uma forma rápida de se conseguir o dinheiro, ainda assim você pode arcar com juros muito mais altos e, além disso, corre o risco de não poder pagar.

O empréstimo pessoal é um acordo muito sério. Precisa ser pensado e repensado diversas vezes antes de ser requerido. Além disso, é importante que você pesquise sobre o tipo de empréstimo que é melhor a você.

Agora que você já sabe que você está apto a pedir um empréstimo, analise muito bem o assunto.

 

Empréstimo com maquininha: o que é e como fazer

A utilização de cartões de crédito para o pagamento de compras ou prestações de serviços tem crescido cada vez mais. Dessa forma, se torna imprescindível que o lojista ou prestador de serviço conte com uma máquina de cartão de crédito.

 

No entanto, a maquininha não se limita a apenas validar o pagamento com o cartão. Devido ao aumento no uso desta ferramenta, as administradoras passaram a incorporar novos serviços ao produto. Um deles é o empréstimo com maquininha.

 

Sem a necessidade de sair de casa para solicitar, o empréstimo com maquininha se tornou uma alternativa bastante válida para aqueles lojistas que procuram economizar tempo. Desse modo, confira como funciona este serviço e de que forma é possível solicitar.

Empréstimo com maquininha para investir na empresa

Na grande parte das situações o aumento nas vendas de uma empresa se deve a disponibilização de pagamento com cartão de crédito. Portanto, esse volume de vendas também representa uma necessidade de investir na ampliação e melhoria do estabelecimento.

 

Dessa forma, o empréstimo com maquininha pode ser encarado como uma forma de encontrar capital de giro para tal ampliação. No entanto, o valor disponibilizado varia conforme o volume de vendas da empresa na máquina.

 

Portanto, quanto maior o faturamento do comerciante com vendas no cartão de crédito, maiores são as chances de conseguir o valor que deseja no empréstimo com maquininha.

Empréstimo com maquininha com juros mais elevados

Toda a facilidade e agilidade que o empréstimo com maquininha oferece aos lojistas também representa valores diferenciados quanto aos juros.

 

De um modo geral, o empréstimo com maquininha possui juros mais altos em comparação às demais linhas de crédito pessoal.

 

Desse modo, os valores pagos pelo tomador do empréstimo se equivalem ao crédito rotativo, bastante utilizado por usuários de cartão de crédito.

Tudo sobre empréstimo com maquininha

Aposto que você não sabia que é possível fazer um empréstimo com maquininha. Então, você precisa saber como fazer um empréstimo com maquininha. Por isso, nós vamos te ensinar tudo sobre empréstimo com maquininha.

Esse tipo de recurso nas maquininhas é uma novidade bastante interessante. Existia um tempo que os microempreendedores ou o profissional autônomo não podiam ter a oportunidade de fazer empréstimos, isso, porque, eles não têm uma forma de comprovar uma renda fixa.

Foi vendo isso que as empresas de tecnologia financeira, conhecidas como fintechs, vieram com essa grande novidade. Agora é possível realizar empréstimo com maquininha. E é tão simples como você pode imaginar.

Com qual empresa consigo fazer um empréstimo com maquininha?

Até a data da publicação desse artigo, somente duas empresas oferecem a opção de empréstimo com maquininha, são elas: Mercado Pago e PagSeguro. Nas duas situações, fazer empréstimo com maquininha é muito simples e fácil.

Fazer um empréstimo com maquininha da PagSeguro

Se você é uma das milhares de pessoas que possui uma máquina de cartão moderninha, e você está vendendo seus produtos há mais de seis meses pela maquininha, tem um histórico de crescimento de vendas e um faturamento mínimo de R$ 300,00, então, você está apto para solicitar um empréstimo com maquininha da PagSeguro.

O valor disponibilizado para empréstimo com maquininha pela PagSeguro é de R$ 300,00 e uma taxa de juros de 2,99%.

Fazer um empréstimo com maquininha do Mercado Pago

Para as pessoas que trabalham com as maquininhas da Mercado Pago, as possibilidades de empréstimo são maiores, isso porque, a empresa libera o valor de até 50 mil reais para operações de empréstimo com maquininha. Para isso, ela irá avaliar o seu perfil e te contactará. Para isso acontecer, você deve faturar mais de R$ 100,00 por mês e ter uma reputação de cor verde no site do mercado livre.

Investimentos: Quer começar a investir? Conheça esses fundos

Qualquer pessoa pode ser tornar um investidor, isso independente do capital que ela tem disponível para investimentos. Atualmente, os bancos oferecem aplicações bancárias com um investimento inicial de 30 reais, que são os títulos do Tesouro Nacional. Não importa qual tipo de investidor você é ou almeja ser, o fato de você estar fazendo investimentos, já te coloca a frente de grande parte da população.

Se você está pensando no seu futuro, pensando em ter uma tranquilidade daqui alguns anos, você deve estar pensando em ter grandes lucros e até mesmo enriquecer através de investimentos que tenham bom retorno. Então, continue aqui, pois, separamos algumas dicas para você começar a investir.

Principais tipos de investimentos

O número de investimentos que o mercado financeiro possui é muito grande. O que diferencia cada um é o risco e a rentabilidade. Veja a seguir os principais tipos de investimentos, para você que está pensando em começar a investir.

Tesouro Direto ou Títulos Públicos

Esses investimentos são considerados de baixo risco., pois eles estão diretamente atrelados ao governo. Esses títulos são emitidos pelo Tesouro Nacional, eles servem para captar recursos destinados ao financiamento das atividades públicas.

A remuneração nos investimentos do tesouro direto ou títulos públicos são feitas através de modalidade pré ou pós-fixadas, o valor unitário é uma estimativa do valor futuro descontando a taxa de juros.

Caderneta de poupança

O mais tradicional dos investimentos é a caderneta de poupança. É a modalidade preferida dos brasileiros e possui um formato muito simples de adesão. Você precisa apenas procurar uma instituição financeira, apresentar documentos pessoais e pronto, você já consegue poupar seu dinheiro e ter um rendimento mensal.

LCI – Letra de Crédito Imobiliário

A LCI é a Letra de Crédito Imobiliário. Ela é um investimento de renda fixa emitido pelos bancos. Os recursos gerados por esse investimento são utilizados para o financiamento das atividades do setor imobiliário. Em troca disso, o investimento oferece uma taxa de rentabilidade anual que pode ser definida no momento da compra.

As regras do consórcio de carro que você precisa conhecer

O consórcio de carros é uma das melhores maneiras de se adquirir um automóvel. No entanto, por se tratar de um investimento alto e de um compromisso de longo prazo, é preciso conhecer bem o funcionamento do consórcio de carros, para evitar complicações futuras. Um bom começo é entender como funcionam algumas regrinhas dessa modalidade de financiamento em grupo.

Uma regra muito importante diz respeito ao atraso no pagamento de parcelas do consórcio de carros. É bem simples: quem atrasa o pagamento não participa do sorteio e nem pode dar lances para arrematar a carta de crédito. Quem define a data de vencimento da parcela é a própria administradora. Ainda sobre as parcelas, é possível antecipar os pagamentos.

Outra regra fundamental é de que a administradora do consórcio de carros precisa ter autorização do Banco Central para atuar, como não poderia ser diferente. Afinal, trata-se de uma atividade financeira que normalmente envolve grandes valores.

Também vale ficar atento em relação às regras sobre o grupo do consórcio. Nem todo mundo sabe, mas é possível entrar num grupo de consórcio de carros já formado. Para isso, basta pagar a cota à administradora ou comprá-la de um participante que desistiu do consórcio de carros.

Algumas regras em relação à carta de crédito também merecem atenção. Ao ser sorteado no consórcio de carros ou arrematar a carta de crédito, o consorciado pode usar tal carta para comprar um carro novo ou usado. Ainda é possível utilizar 10% do valor da carta para pagar despesas relacionadas ao veículo, como seguro e IPVA.

E se você por acaso mudar de ideia e desistir de comprar um carro? Sem problemas. É possível solicitar o valor da carta de crédito em dinheiro. Para isso, é necessário ter todas as pendências com a administradora do consórcio de carros quitadas e aguardar seis meses após o fim do consórcio ou depois de ser sorteado.

 

« Older posts

© 2020 Cidan Dicas

Theme by Anders NorenUp ↑