Grupos e classificações de tipos de materiais semicondutores

Existem muitos tipos diferentes de materiais semicondutores que muitas vezes são classificados por seus grupos e outros, mas todos têm propriedades ligeiramente diferentes.

Existem muitos tipos diferentes de material semicondutor.

Esses diferentes tipos de semicondutores têm propriedades ligeiramente diferentes e se prestam a diferentes aplicações em várias formas de dispositivos semicondutores.

Alguns podem ser aplicáveis ​​para aplicações de sinal padrão, outros para amplificadores de alta frequência, enquanto outros tipos podem ser aplicáveis ​​para aplicações de energia e ambientes hostis ou outros para aplicações de emissão de luz. Todas essas diferentes aplicações tendem a utilizar diferentes tipos de materiais semicondutores.

Tipos / classificações de semicondutores

Existem dois grupos básicos ou classificações que podem ser usados ​​para definir os diferentes tipos de semicondutores:

Material intrínseco:   um tipo intrínseco de material semicondutor feito para ser quimicamente muito puro. Como resultado, ele possui um nível de condutividade muito baixo, tendo muito poucos portadores de carga, ou seja, buracos e elétrons, que possui em quantidades iguais.

Material extrínseco: os   tipos extriniscais de semicondutores são aqueles em que uma pequena quantidade de impureza foi adicionada ao material intrínseco básico. Esse ‘doping’ usa um elemento de um grupo de tabela periódica diferente e, dessa forma, terá mais ou menos elétrons na banda de valência do que o próprio semicondutor. Isso cria um excesso ou uma falta de elétrons. Dessa forma, dois tipos de semicondutores estão disponíveis: Os elétrons são portadores com carga negativa.

Tipo N:   um material semicondutor do tipo N tem excesso de elétrons. Desta forma, elétrons livres estão disponíveis dentro das redes e seu movimento geral em uma direção sob a influência de uma diferença de potencial resulta em um fluxo de corrente elétrica. Em um semicondutor do tipo N, os portadores de carga são os elétrons.

Tipo P:   Em um material semicondutor do tipo P, há uma escassez de elétrons, ou seja, há ‘buracos’ na estrutura do cristal. Os elétrons podem se mover de uma posição vazia para outra e, neste caso, pode-se considerar que os buracos estão se movendo. Isso pode acontecer sob a influência de uma diferença de potencial e os orifícios podem ser vistos fluindo em uma direção, resultando em um fluxo de corrente elétrica. Na verdade, é mais difícil mover os buracos do que os elétrons livres e, portanto, a mobilidade dos buracos é menor do que a dos elétrons livres. Os furos são portadores com carga positiva.

Enquanto a maioria dos materiais semicondutores usados ​​são inorgânicos, um número crescente de materiais orgânicos também está sendo investigado e usado.

Exequatur do divórcio: como legalizar uma sentença de divórcio estrangeiro na Espanha?

Divorciou-se no estrangeiro e deseja que o divórcio tenha efeito na Espanha? Você terá que iniciar um procedimento denominado exequatur do divórcio.

Mas qual é o exequatur do divórcio? O exequatur é um procedimento que visa obter o reconhecimento em Espanha de uma resolução emitida no estrangeiro.

Com esse reconhecimento, a sentença de divórcio estrangeiro pode produzir os mesmos efeitos na Espanha e no país de origem.

Regulamento do divórcio exequatur na Espanha

A primeira coisa que você deve saber é se a Espanha assinou um Tratado Internacional com o país onde o divórcio foi obtido.

Caso não o tenha, será aplicável a Lei n.º 29/2015, de 30 de julho, de Cooperação Jurídica Internacional , que substitui a regulamentação anterior da nossa Lei de Processo Civil .

Por isso, aconselhamo-lo a colocar-se nas mãos de um bom Advogado especialista em Direito Internacional, para que receba o aconselhamento adequado.

5 Requisitos para o reconhecimento do exequatur

Os requisitos para que uma sentença de divórcio estrangeira seja reconhecida na Espanha são os seguintes:

  1. Que a sentença de divórcio estrangeira é definitiva Ou seja, não está pendente de recurso no país de origem.
  2. Que a sentença estrangeira é legalna Espanha.
  3. Que a sentença estrangeira de divórcio foi notificada a ambos os cônjuges.
  4. Que, anteriormente, o divórcio não foi processado na Espanha. Ou seja, o divórcio não foi concedido antes na Espanha.
  5. Que a resolução esteja devidamente legalizada e legitimada pelas autoridades judiciais ou diplomáticas do país de origem.
    • No caso de uma sentença de divórcio emitida em um país pertencente à Convenção de Haia, ela deve ser apostilhada. A apostila consiste em colocar na sentença de divórcio e, se for o caso, no contrato regulamentar de divórcio, uma anotação (apostila) que comprove a autenticidade da sentença estrangeira. Este procedimento é realizado no Superior Tribunal de Justiça de cada Comunidade Autônoma. No entanto, as decisões de divórcio emitidas pelos tribunais europeus após 16 de janeiro de 2019, não precisam ser apostiladas.
    • Se a sentença de divórcio for proferida em outro país, a legitimação da sentença será realizada pelo Consulado Espanhol desse país. A assinatura do Cônsul espanhol deve ser legalizada pelo Ministério das Relações Exteriores espanhol.

6 Procedimentos para obter o exequatur do divórcio

1- Ter um advogado e procurador

É necessário ser assistido por advogado e representado por procurador.

O exequatur pode ser requerido por qualquer dos cônjuges, com juros para que o divórcio produza efeitos em Espanha ou, ainda, por terceiro que também tenha interesse.

2- Escreva uma ordem de exequatur

O advogado lavrará pedido de exequatur, o qual deverá ser acompanhado dos seguintes documentos:

  • Sentença de divórcio original ou cópia autenticada da mesma, devidamente legalizada ou apostilhada.
  • Certidão que atesta a notificação da decisão de divórcio aos cônjuges ou ao cônjuge que não compareceu no processo de divórcio no país de origem.
  • Acordo normativo, em caso de divórcio por mútuo acordo, devidamente legalizado ou apostilhado.
  • A tradução de documentos estrangeiros para a língua oficial espanhola.
  • Fotocópia legalizada do DNI do peticionário do exequatur.
  • Certificado literal de matrimonio.
  • Certidão de nascimento literal dos filhos, se houver.
  • Procuração geral para ações judiciais favoráveis ​​ao Procurador.Se o requerente / reclamante viver na Espanha, eles podem conceder uma procuração perante qualquer Tabelião Público espanhol. Se você reside no exterior, a procuração pode ser feita no Consulado Espanhol do país de residência.

3- Apresentar a demanda por exequatur

Apresentar o pedido de exequatur ao Tribunal de Primeira Instância competente.

Será competente, a pedido do requerente,

  • O Tribunal de Primeira Instância do domicílio ou residência habitual do outro cônjuge.
  • O Tribunal de Primeira Instância do domicílio ou residência habitual do requerente.
  • Se não houver domicílio na Espanha, os Tribunais de Primeira Instância de Madrid serão competentes.

4- Audiência da parte contrária e do Ministério Público

Admitida a reclamação pelo tribunal competente, serão ouvidos a parte contrária e o Ministério Público.

Com esse procedimento, o Tribunal verifica se a sentença de divórcio no estrangeiro atende aos requisitos mencionados.

5- O Tribunal emitirá uma Ordem

Por fim, o Tribunal emitirá um despacho declarando a homologação da sentença de divórcio estrangeiro.

6- Inscrição no Registro Civil Central

Uma vez expedida a referida ordem judicial, esta será registrada no Registro Civil Central.

5 produtos ecológicos para cuidar do meio ambiente

Você conhece os produtos que respeitam o meio ambiente? Aqui mostramos algumas alternativas do dia a dia que tornarão sua vida mais sustentável.

Encontramos cada vez mais produtos ecológicos no mercado, mas você sabe o que são?

Produtos ecológicos são aqueles produzidos respeitando o meio ambiente. Longe do consumo descontrolado a que estamos habituados e dos artigos produzidos em cadeia e a um ritmo acelerado para reduzir custos, os chamados produtos ecológicos têm sido fabricados a pensar no seu impacto no meio ambiente e na sua funcionalidade nele. mais do que em sua lucratividade.

Veja também – O que são produtos controlados?

Quais são as características dos produtos ecológicos?

A principal característica de um produto ecologicamente correto é a biodegradabilidade e / ou reciclabilidade, o que reduz as chances de contaminação. Além disso, encontramos outras peculiaridades, como:

  • Eles reduzem a pegada de carbono.
  • Eles não incluem componentes tóxicos.
  • Eles foram feitos a partir de processos eficientes em termos de energia.
  • Eles vêm de plantações orgânicas ou de materiais previamente reciclados.
  • Eles não são testados em animais.

Vamos ver alguns desses produtos ecológicos que podemos encontrar no mercado hoje.

  1. Garrafa reutilizável

Atualmente, encontramos no mercado uma grande variedade de garrafas de água reutilizáveis, desde as de vidro até as de aço inoxidável.

O objetivo principal – seja um material ou outro – é abandonar a ideia da garrafa plástica descartável.

Na verdade, a Comissão Europeia anunciou recentemente o fim dos plásticos de uso único que geralmente acabam no meio marinho, colocando em risco sua biodiversidade. Tanto é que, segundo dados desse mesmo órgão, mais de 80% do lixo encontrado no mar corresponde a plástico.

Entre as medidas propostas pela Comissão Europeia, vemos uma expressa para as garrafas de plástico: “Os Estados-Membros serão obrigados a recolher 90% das garrafas de plástico de uso único para bebidas até 2025 através, por exemplo, de sistemas de guarda-volumes”

  1. Escova de dentes de madeira

Tanto o setor de higiene pessoal como o setor de cosméticos são provavelmente os mais comprometidos com a causa das alterações climáticas, pois é num dos setores que encontramos os produtos mais ecológicos.

Um exemplo disso é a escova de madeira, cuja vida útil é muito maior que a da escova de plástico convencional e também biodegradável.

Voltamos ao mesmo problema: plástico. A quantidade de plástico que descartamos é tão exorbitante que ilhas de plástico estão se formando nos mares e oceanos.

A escova de dentes de madeira mais difundida é feita de bambu pelas suas diferentes propriedades, também inclui células biodegradáveis.

Mas não adianta usar escovas de madeira se vier da exploração de florestas, por isso preste atenção na origem dos produtos ecologicamente corretos que você consome.

Além da escova de madeira, os produtos “pelados” são uma novidade na higiene pessoal e cosmética. São géis, xampus ou cremes que vêm sem embalagem, normalmente no estado sólido, para evitar contaminação por plásticos.

  1. Carregador solar móvel

Todos os dias não saímos de casa sem o nosso celular. Usamos durante todo o dia e na maioria dos casos carregamos com uma bateria portátil caso ela desligue na hora errada.

Nesse sentido, usar uma bateria portátil e solar será um sucesso. Um dispositivo móvel pode ser recarregado facilmente com a energia do Sol, portanto estaremos contribuindo com o cuidado do meio ambiente sem abrir mão da tecnologia.

  1. SmartWater

A água é um recurso que deve ser protegido, pois embora a maior parte do nosso planeta seja constituída por água, apenas uma pequena parte é adequada para o consumo humano.

SmartWater é um dispositivo desenvolvido para aproveitar ao máximo o recurso hídrico . Assim, seus criadores pensaram no uso diário que fazemos, como abrir a torneira e deixar a água correr até atingir a temperatura desejada para o banho.

Todo aquele fluxo que desperdiçamos é armazenado pela SmartWater para ser usado posteriormente. No entanto, o principal objetivo deste sistema é avisar-nos quando a água for aquecida para que abramos a torneira justamente nesse momento e não antes de evitar a perda de litros e litros.

Existem também outros sistemas para aproveitar a água que deixamos correr até atingir a temperatura desejada, como o saco WaterDrop, onde podemos guardá-la e utilizá-la posteriormente para outras tarefas domésticas como regar as plantas.

  1. Rolleat

O porta-rolos ou porta-alimentos é o aliado perfeito para evitar as embalagens de sanduíches que levamos para o trabalho todos os dias, por exemplo. É uma espécie de tecido reutilizável e lavável, projetado para armazenar alimentos como sanduíches.

Esses são alguns dos produtos ecologicamente corretos que vão te ajudar a fazer um consumo sustentável e cuidar do meio ambiente.

Confira mais conteúdos em nosso site. Aproveite e compartilhe em suas redes sociais. Alguma sugestão no que podemos melhorar? Deixe nos comentários.

O que devo saber antes de comprar uma casa?

A compra de uma casa é o investimento mais importante na vida da maioria dos cidadãos, por isso, se está a pensar adquirir um imóvel, não hesite em consultar os advogados e, sobretudo, não assine nenhum documento sem antes contar com os conselhos adequados , especialmente antes da entrega do dinheiro, mesmo que seja na forma de entrada.

Antes de comprar um imóvel sugerimos que você entre em contato com um advogado imobiliario para te auxiliar.

Resumimos certos aspectos a serem considerados:

Etapas preliminares

Antes de redigir a escritura pública de venda, é normalmente assinado um contrato privado entre o comprador e o vendedor. O documento privado não é obrigatório nem inscreve no Registo, mas a lei considera-o um contrato válido e obriga a cumprir tudo o que nele conste.

Portanto, se você vai comprar uma casa, é importante aconselhar-se antes de assinar qualquer coisa. Algumas questões importantes devem ser levadas em consideração no documento privado:

  • Quem assina pelo vendedor. Quando um promotor vende, o administrador ou procurador da empresa assina. Se for uma venda entre pessoas físicas, todos os proprietários deverão assinar, e se for uma comunidade ou residência de família, ambos os cônjuges.
  • Estado de cargas da casa . É imprescindível verificar se a casa está livre de gravames, se tem hipoteca, se há gravame ou se há limitação nos estatutos da comunidade de proprietários. Você pode solicitar uma nota informativa simples diretamente no Registro de Imóveis ou em cartório. Às vezes tem de pedir à Câmara Municipal um atestado de legalidade urbana caso haja algum tipo de afetação que não conste do Registro de Imóveis.
  • Taxas da comunidade de proprietários. Antes de comprar, certifique-se de que a casa está em dia com os pagamentos e despesas, pois em certos casos a lei obriga o comprador a assumir a responsabilidade.
  • Preço. Determine claramente o preço e a forma de pagamento. Não apóie preços abaixo do preço real nem pague valores indocumentados. Isso é contra a lei e pode prejudicá-lo.
  • Arras . Quando o contrato privado é assinado, um valor geralmente é dado como parte do pagamento do preço total ou “sinal” conhecido como entrada, que vincula ambas as partes. Os mais comuns são os penitenciais, que permitem desvincular-se do contrato antes de assinar a escritura. Se for o comprador quem rescindir o contrato, ele perderá o valor entregue, enquanto se o vendedor o fizer, terá que devolver o dobro do valor recebido.

Tratando-se de casa em construção, o comprador tem o direito de exigir garantia do valor entregue para que, caso não seja cumprido o prazo acordado para a entrega do imóvel, o mesmo seja devolvido juntamente com os respectivos juros. .

  • Despesas da venda. Se as partes não concordarem com nada, ou se indicarem no contrato que é “de acordo com a lei”, será aplicada a legislação da comunidade autônoma competente. Porém, no documento privado costuma-se combinar quem assume as despesas inclusive que todas são pagas pelo comprador, exceto o ganho de capital que por lei corresponde ao vendedor. Se um desenvolvedor vende, o comprador está proibido de assumir despesas que, por lei, devem ser pagas pelo vendedor.

Veja também – O que é o Imposto de Renda Pessoal?

A escritura pública de venda

A escritura pública não é obrigatória para comprar ou vender um imóvel, a menos que seja contratado um empréstimo hipotecário para adquiri-lo. No entanto, a grande maioria dos cidadãos opta por ir ao cartório para fazê-lo por sua confiabilidade e segurança jurídica.

  • A escritura pública é confiável. Os outorgantes de uma venda declaram perante um notário sua vontade de comprar e vender e as condições da venda. O tabelião, funcionário público, atesta a autenticidade dessas declarações por escrito, de forma que nenhuma das partes pode negar à outra o que elas declararam. A escritura pública é uma prova privilegiada perante os tribunais.
  • A escritura pública oferece segurança jurídica. O notário não se limita a atestar. A sua atuação profissional proporciona segurança jurídica ao verificar e verificar se os aspectos incluídos no documento privado estão em conformidade com a lei.
  • No ato de assinar a escritura pública, o notário:
    • Verifique a identidade, capacidade e legitimidade do vendedor e do comprador.
    • Expõe o estado das cargas que pesam sobre a casa
    • Confirme o pagamento das taxas da comunidade
    • Solicitar o comprovante de recolhimento do Imposto sobre Imóveis (IBI) e o número de referência cadastral da casa para verificar sua correspondência com a escritura do vendedor, avisar as partes das divergências e trocar a titularidade dos próximos recibos de IBI
    • Notifica as partes sobre suas obrigações legais e, principalmente, sobre os encargos fiscais decorrentes da venda
    • Explicar a distribuição dos custos da operação entre as partes
    • Gerencia, caso as partes o solicitem, o pagamento das diversas despesas que a escritura pública acarreta.

III. Procedimentos subsequentes

Uma vez assinada a escritura de compra e venda, devem ser seguidos os seguintes passos:

  • Pagamento de impostos e inscrição no Registro de Imóveis . Se for realizar pessoalmente essas etapas, verifique com o notário os prazos, a fim de evitar penalidades ou perda de direitos. Pode também optar por confiar o seu processamento ao notário, que enviará ao registo predial uma cópia electrónica autorizada da escritura para registo. Posteriormente, receberá uma cópia autorizada da escritura em papel oficial com todos os documentos comprovativos e faturas.
  • Suprimentos Não se esqueça de colocar em seu nome os suprimentos que afetam a nova casa.
  • Documentação e faturas. Guarde todos os documentos originais, documentos comprovativos, garantias e faturas da sua compra.

Não aceite receitas globais; reclamar a nota fiscal original do cartório, administrador e cartório de registro de imóveis, bem como a carta de pagamento do imposto.

Despesas derivadas da venda de uma casa

Ata Notarial: É a fatura do notário pelos seus honorários, fixados pelo Poder Público através de uma tarifa. Eles são iguais para todos os notários.

Minuta de inscrição: É a nota fiscal do cartório de registro de escritura; Eles também são estabelecidos pelo governo por meio de uma tarifa e são idênticos para todos os registros.

Gestão de minutos: É a fatura do gestor quando realiza os procedimentos. Você também tem o direito de fazê-los pessoalmente ou solicitá-los ao notário.

Imposto Municipal sobre a Valorização do Solo Urbano , também conhecido como Ganho de Capital Municipal . Por lei, é pago pelo vendedor, que pode apurar o valor informando a prefeitura a que pertence o imóvel.

Outros impostos: Por lei, o comprador os paga.

IVA : para uma casa recém-construída, você terá que pagar 10% de IVA sobre o preço de venda. Se for outro tipo de propriedade, o IVA é de 21 por cento.

AJD: Se for uma casa recém-construída, você deve pagar o imposto de atos jurídicos documentados (AJD), cuja alíquota varia de acordo com a comunidade autônoma entre 1% e 1,5%.

TPO: Se a casa for usada, terá de pagar o Imposto sobre Transmissão Patrimonial (TPO), cuja alíquota varia de acordo com a comunidade autônoma entre 6% e 10%.

Imposto de renda de pessoa física: por fim, o vendedor deve levar em consideração o ganho de capital em seu imposto de renda de pessoa física, que pode chegar a 27%.

Como descobrir o estabelecimento pela fatura do cartão?

Muitas pessoas têm dúvidas de como conseguir descobrir o estabelecimento em que efetuou uma compra pelo cartão de crédito. Isso porque algumas empresas utilizam o nome fantasia na cobrança dos cartões de crédito. Por isso, vamos esclarecer suas dúvidas sobre como descobrir o estabelecimento pela fatura do cartão. E, também, qual a diferença entre a razão social e o nome fantasia de um estabelecimento. Vale lembrar que ter um controle financeiro é imprescindível para que você não crie dívidas. Porém, saber identificar o estabelecimento pela fatura do cartão pode ser útil para momentos de fraude e clonagem do cartão.

Qual a diferença entre a razão social e o nome fantasia?

Muitos ainda não sabem ou entendem qual a diferença entre a razão social e o nome fantasia de uma empresa. Entretanto, o significado de cada um deles é bem simples. A razão social é nada mais do que o nome registrado para que uma pessoa jurídica se individualize e consiga exercer seus serviços. Enquanto isso, o nome fantasia é uma nomenclatura popular utilizada para uma instituição pública ou privada. A razão social é o nome oficial e legal que aparecerá na escritura ou no documento de identificação de uma empresa. Isso tudo serve para demonstrar a sua constituição legal para uso de termos formais. Justamente por esse motivo, esse é o nome que é usado em documentos oficiais. Por exemplo: contratos, aberturas de contas em bancos e notas fiscais. Por outro lado, o nome fantasia ou também nome de fachada, é utilizado por uma empresa no âmbito comercia. Geralmente, é mais simples e curto que a razão social, para que o cliente consiga memorizar o nome.

Como descobrir o estabelecimento pela fatura do cartão?

A maneira mais fácil e rápida para você conseguir descobrir o estabelecimento através da sua fatura do cartão, é pelo modo digital. É simples, basta usar o aplicativo do seu cartão de crédito. Essa opção é muito tranquila de ser feita! Os bancos estão cada vez mais investindo em aplicativos modernos e de fácil acesso para os clientes, permitindo a visualização cada vez mais avançada. No aplicativo, basta você acessar o histórico da sua fatura do mês, que conseguirá ver o nome do estabelecimento. Junto dele vem a hora da compra, o valor pago e se foi ou não parcelado. Após esse primeiro passo, caso ainda não tenha conseguido identificar, você poderá pegar o nome do estabelecimento que apareceu na fatura e jogá-lo no Google para descobrir o CNPJ, por exemplo. Uma segunda opção é através do atendimento telefônico, o SAC (Sistema de Atendimento ao Cliente) do seu cartão. Para isso, você precisará pesquisar qual é o número do SAC do seu cartão. Por isso, preste atenção para a diferença entre eles, já que um número é apenas para capitais e regiões metropolitanas e o outro para as demais regiões do Brasil. A terceira maneira é para as pessoas que recebem a fatura do cartão via Correios, ao invés de visualizar pelo aplicativo de celular. Neste caso, você pode ver o nome do estabelecimento pela sua fatura física. Porém, fique atento que nessa opção você só conseguirá saber quando a fatura chegar em sua casa. Isso pode não ser tão viável para as pessoas que estão com urgência para descobrir o nome do estabelecimento. Um exemplo dessas situações são os mementos de suspeita de fraudes.

Descobri que uma compra no meu cartão de crédito é uma fraude, o que eu devo fazer?

Se após conferir sua fatura mensal do cartão de crédito, e perceber que há uma compra errada. Isso é, uma compra em que não reconhece ou não efetuou, é muito provável que você tenha sido vítima de uma fraude ou que seu cartão tenha sido clonado. Neste momento, o melhor a ser feito é entrar em contato com o SAC do seu cartão de crédito e reportar o acontecido. Outra opção é fazer o processo pelo aplicativo de celular. Eles cancelaram a compra e farão o estorno do valor. Também é possível que o seu cartão seja cancelado e que você tenha que solicitar um novo. Nesse caso, na hipótese ter ter sofrido com uma fraude e ele tenha sido clonado, você não passará por isso novamente. Outra opção é usar o cartão digital em compras via internet, para preservar ainda mais os dados do seu cartão físico, que é o principal. Gostou dessas dicas? Para mais como essas, siga o Nosso site  por aqui e fique por dentro de tudo desse mundo financeiro.

Os impactos da Mineração

Podemos dizer que os maiores impactos produzidos pela atividade de mineração são, entre outros:

  • Degradação ambiental
  • O desequilíbrio dos ecossistemas
  • Aquecimento global
  • Comunidades que são deslocadas de seu local de origem
  • Perda de meios de subsistência
  • Militarização para proteção de minas, especialmente em áreas de mineração onde há conflito.
  • Destruição de comunidades indígenas
  • Dependência econômica dos países do Sul para os do Norte
  • Agravamento da pobreza e das desigualdades sociais

Efeitos de minas subterrâneas

A mina subterrânea é acessada por um poço ou rampa que leva às galerias e níveis de produção, que são interligados por poços inclinados. Brocas e explosivos são usados ​​para quebrar o tipo – a mistura de minerais da qual um ou mais metais podem ser extraídos – no subsolo.
Geralmente, esse tipo de mineração tem menos impacto ambiental do que as minas a céu aberto. A perturbação na superfície da terra é mínima, mas também pode ter efeitos na água, contaminando-a com ácidos e metais e interceptando aqüíferos.
Os trabalhadores estão expostos a situações ainda mais perigosas do que os que trabalham em minas a céu aberto, devido ao risco de afundamento, má qualidade do ar e explosões subterrâneas. As empresas têm abandonado esse método progressivamente por um problema de lucratividade, mesmo assim, minerais como carvão, níquel, zinco ou chumbo continuam a ser, em geral, extraídos com métodos de mineração subterrânea.

Saiba mais sobre Nióbio aqui.

 

Efeitos das minas a céu aberto

Mais de 60% dos materiais extraídos para o mundo atualmente são por meio desta modalidade.
Provoca a devastação do ecossistema em que se insere (desmatamento, contaminação e alteração da água, destruição de habitats). Dentro deste tipo de mineração, os seguintes são distinguidos:

As minas a céu aberto, localizadas em grandes, largas e profundas covas no meio de uma paisagem nua de recursos vivos, apesar de possuírem novas tecnologias que permitem melhores rendimentos na velocidade de extração e processamento do mineral, aumentam os problemas ambientais, uma vez que esses resíduos não tendam a reverter para a recuperação do local.

Pedreiras (para construção e materiais industriais, como areia, granito, ardósia, mármore, gravura, argila, etc.) são minas com uma superfície muito semelhante às minas a céu aberto, mas a agressão ao meio ambiente, que por si só a gera tipo de mineração, é agravada pela proximidade com áreas urbanas. As escavações realizadas, que já carecem de cobertura vegetal, acabam se transformando em lixões urbanos, além de afetar as águas superficiais e subterrâneas próximas à exploração.

A mineração por lixiviação usa produtos químicos (por exemplo, ácido sulfúrico no caso do cobre ou uma solução de cianeto e sódio no caso do ouro) para dissolver (lixiviar) os metais em questão do mineral que os contém. As soluções químicas usadas não apenas liberam os metais desejados, mas também mobilizam outros metais pesados ​​(como o cádmio), razão pela qual as águas superficiais e subterrâneas são frequentemente poluídas.

Embora os impactos ambientais da mineração variem de acordo com o tipo de mineral e mina, é uma atividade intrinsecamente insustentável, pois envolve a exploração de um recurso não renovável por meio de procedimentos destrutivos ou poluentes, como britagem, moagem, lavagem e classificação de minerais, refino e fundição. Segundo o boletim do Movimento Mundial pelas Florestas Tropicais nº 71 (junho de 2003), atualmente é duplamente destrutiva por sua grande escala e pela tecnologia que aumentou sua capacidade produtiva.
Além disso, o problema está na divisão do trabalho nas minas; a população local só pode ter acesso a empregos de baixa qualificação ou juniores, já que o restante é ocupado por pessoas de origem estrangeira. Na verdade, as minas nos países do Sul são dirigidas, exploradas e controladas por empresas estrangeiras.

Os efeitos negativos da atividade de mineração são inevitáveis, a poluição e as emissões de CO2 nos afetam globalmente, mas especialmente na África, que é a região mais afetada pelas mudanças climáticas. A Organização das Nações Unidas considera que até 2020 a produtividade agrícola do continente poderá cair 50%, levando-se em consideração que se trata de uma região que emite apenas 3,2% das emissões globais de CO2. E não só a agricultura e o campesinato são afetados por esta situação, mas também os recursos hídricos.

Características, vantagens e tipos de navios no transporte marítimo de mercadorias

No domínio do comércio internacional, o transporte marítimo de mercadorias é a forma mais comum de transporte de produtos de um país para outro. Atualmente, estima-se que cerca de 80% do total de mercadorias transportadas ao redor do mundo é feito por via marítima , quer se trate de contêineres ou a granel, por isso a importância desse meio de transporte nos acordos de comércio internacional é fundamental.

Saiba mais sobre Navio clicando aqui.

O que é o transporte marítimo de mercadorias?

Basicamente, o transporte marítimo de mercadorias é uma atividade através da qual os artigos são transportados com fins comerciais de um ponto geográfico para outro, por via marítima e a bordo de um navio com determinadas características, dependendo do tipo de mercadoria.

Embora o transporte terrestre seja o mais difundido quando se trata de movimentação de mercadorias por muitos setores empresariais em nível nacional, o método marítimo é de crucial importância se nos referirmos ao transporte internacional .

Isso se deve principalmente à grande capacidade de armazenamento que os navios possuem para transportar grandes volumes de mercadorias, bem como à presença de portos marítimos em todo o mundo , aspecto que facilita o acesso a um grande número de destinos.

Vantagens de usar o transporte marítimo de carga

Na decisão de transportar mercadorias por via marítima, existem várias vantagens a nível geral , tanto para o importador como para o exportador, entre as quais podemos destacar as seguintes:

Ampla capacidade de armazenamento em navios: como comentamos anteriormente, uma das principais vantagens do transporte marítimo de cargas é o alto volume de produtos que podem ser colocados nos navios, em comparação com outros modos de transporte, como avião, trem ou caminhão.

Frete mais barato: o transporte marítimo internacional é considerado o meio mais econômico de transporte de materiais em longas distâncias. Embora seja verdade que pode haver custos adicionais (como combustível, por exemplo), a excelente relação entre custo e ampla capacidade de carga torna o transporte marítimo a opção mais atraente.

Abrangência e segurança nas entregas: devido à vasta extensão de água que existe no planeta, a abrangência do transporte marítimo é praticamente total, uma vez que a mercadoria pode chegar a qualquer continente dentro dos prazos previamente estabelecidos. No entanto, é um dos meios mais seguros e eficazes de pontualidade nos partos.

Variedade de embarcações: praticamente qualquer tipo de carga (transporte de contêineres marítimos, a granel, em tanques …) pode ser adaptada à capacidade das embarcações existentes. Por isso, o transporte marítimo de mercadorias é o meio mais versátil para transportar artigos de qualquer tamanho e características , mesmo aqueles considerados perigosos (petróleo, por exemplo).

Estabilidade nas viagens: o transporte marítimo de mercadorias pode ser realizado mesmo quando as condições meteorológicas são adversas durante as viagens, o que não acontece no caso do transporte aéreo.

Tipos de navios no transporte marítimo de carga

Os navios mercantes têm se tornado cada vez mais importantes no setor de transporte marítimo de carga devido ao constante crescimento da demanda por itens entre os países ao redor do mundo. Basicamente, os navios são classificados em quatro categorias: passagem, carga, pesca e guerra; Por sua vez, os tipos de carga podem ser divididos em 10 tipos diferentes , de acordo com as mercadorias a serem transportadas: carga geral, navios porta-contêineres, graneleiros, frigoríficos , petroleiros, carga de gás liquefeito, carga ro-ro, carga química, carga de projeto e barcaças.

Navios de carga geral

São os navios mais básicos no transporte marítimo de mercadorias no que se refere ao transporte de carga seca, sendo normalmente utilizados para a movimentação de cargas soltas , uma vez que não são adequados para o transporte de contentores. Da mesma forma, deve-se destacar que os navios de carga geral contam com guindastes próprios para carregar e descarregar mercadorias.

Navios porta-contêineres

Esses tipos de navios são fabricados especificamente para o transporte de contêineres marítimos padrão, de acordo com os regulamentos ISO. Estima-se que mais de 50% de todo o comércio marítimo internacional seja realizado por meio de porta-contêineres , que são carregados e descarregados por pórticos, responsáveis ​​pela movimentação dos contêineres entre o navio e o caminhão.

Embora seja lógico pensar que é necessário um grande número de pessoas para realizar as diferentes operações, a verdade é que os navios porta-contêineres possuem um alto nível de automação , portanto a tripulação normalmente varia entre 10 e 15 membros.

Graneleiros

São utilizados para o transporte de cargas soltas (minerais, cimento …), e o custo do transporte é estabelecido com base no peso total da mercadoria. Esses tipos de embarcações são grandes em tamanho e normalmente são divididos em vários porões, enquanto o descarregamento é normalmente realizado por meio de gruas. No entanto, algumas mercadorias podem ser descarregadas com maquinário especializado para obter maior agilidade no processo.

Embarcações Reefer

Essas embarcações são destinadas ao transporte marítimo de mercadorias que precisam ser refrigeradas ou congeladas para serem mantidas em bom estado. Levando em consideração esse aspecto, a rapidez no transporte é essencial no comércio internacional de certos bens perecíveis (como frutas ou vegetais, por exemplo), de modo que os navios em que esses itens são transportados costumam ser especialmente projetados para atingir uma velocidade maior do que outros. modelos.

Os navios frigoríficos são geralmente fabricados na cor branca para refletir os raios solares e evitar o aquecimento do casco e dos porões, devido às condições especiais que as mercadorias transportadas precisam atender. Quanto à distribuição, estes barcos costumam ter entre 3 e 5 armazéns divididos em planta e entre conveses diferentes.

Tanques de óleo

Eles são projetados para transportar petróleo bruto para refinarias, onde deve ser tratado. Os maiores navios desse tipo no mundo são conhecidos como superpetroleiros , que podem transportar até 2 milhões de barris e devem ser atracados no mar devido ao seu enorme tamanho.

A grande vantagem dessas grandes embarcações é a capacidade logística que possuem para transportar grandes volumes de petróleo , embora em caso de acidente o desfecho seja caótico. Por isso, para minimizar os riscos, cada vez mais se opta por movimentar o óleo em embarcações de menor porte .

Navios de carga de gás liquefeito

Essas embarcações destinam-se ao transporte de Gás Liquefeito de Petróleo (GLP) e Gás Natural Liquefeito (GNL) , que diferem entre si pela temperatura e pressão a que são transferidos. Esses gases são armazenados em tanques esféricos especiais de alta pressão e baixas temperaturas . Por se tratar de um tipo de mercadoria perigosa, para carregar e descarregar é necessário recorrer a terminais e maquinários especializados.

Vasos Ro-ro ou Roll-On / Roll-Off

Destinam-se a efetuar o transporte marítimo de mercadorias com rodas , normalmente carregadas e descarregadas por meios próprios. Esses barcos possuem um grande portão localizado na popa ou na proa, uma grande rampa que serve para introduzir e extrair a mercadoria, bem como plataformas com capacidade para imobilizar qualquer tipo de carga com rodas.

Algumas das mercadorias que normalmente são transportadas neste tipo de embarcação são: automóveis, caminhões, máquinas sobre rodas e outros tipos de material rodante.

Navios de carga química

Eles são usados ​​para transportar uma grande variedade de artigos químicos, com tanques individuais que incluem revestimentos especiais para evitar possíveis vazamentos que podem levar a consequências catastróficas.

Por possuir vários tanques, existe a possibilidade de realizar o transporte marítimo de produtos químicos de diversos tipos em uma mesma embarcação com o objetivo de economizar custos . Os navios de carga química podem ser facilmente distinguidos por terem tubos que podem ser vistos de fora.

Navios para carga de projeto

São embarcações especiais destinadas ao transporte de mercadorias muito pesadas ou volumosas , como iates ou máquinas industriais. Muitas dessas embarcações são conhecidas como float-on / float-off e são semissubmersíveis para facilitar o processo de descarga no destino.

Barcaças

Eles representam o menor tipo de navio em termos de transporte marítimo de carga, embora geralmente percorram rios ou espaços em águas rasas. Por possuírem fundo plano, as barcaças podem ficar encalhadas em praias comuns , dispensando docas ou píeres para efetuar o embarque e desembarque de mercadorias.

Limpe a loja online: dê forma ao seu conteúdo visual

Todo o conteúdo visual do seu site exala “alegria”, como diria a guru da limpeza Marie Kondo? Se não, agora é um bom momento para limpar a desordem da loja online. 

A limpeza traz muito mais do que apenas um sentimento zen . Ao remover os elementos visuais desatualizados e desatualizados do seu site, há espaço para uma experiência nova e convidativa para o cliente.

O começo é sempre o mais difícil. Quem, senão a própria Sra. Kondo, pode nos dar inspiração e experiência? Um dos seus princípios principais é distinguir entre arrumar (escolher o que manter) e manter as coisas limpas (manutenção para o uso diário). Essa diferença também se aplica à sua loja online.

Pronto para limpar e limpar? Aqui estão cinco etapas importantes que o ajudarão a melhorar sua loja online:

1. Comece com uma ideia clara da loja que deseja

Qual deve ser a aparência que os visitantes tiram do seu site? Trata-se muito da experiência visual , portanto, o layout do site, as fontes e os recursos visuais (imagens e vídeos) desempenham um papel crucial nessa visualização interna da loja. Lembre-se que o visual é de acordo com o nicho de sua loja, se por exemplo for uma de sapatenis masculino e qualquer outro calçado, siga o visual com o produto. 

2. Cada item é atribuído a seu lugar

Idealmente, esta seria uma solução de gerenciamento de ativos digitais (DAM). Um DAM fornece um único ponto de contato para armazenamento, organização, recuperação, compartilhamento e publicação de conteúdo digital com segurança. Sua principal função é servir como uma biblioteca digital centralizada. 

As DAMs oferecem a todos os membros relevantes de uma empresa acesso controlado ao conteúdo digital. Isso inclui fotos, ilustrações, vídeos, áudios, apresentações e documentos.

3. Classifique primeiro

Embora um DAM possa ser usado de maneiras diferentes, o gerenciamento de arquivos é de interesse principal para o seu trabalho de limpeza. O gerenciamento de arquivos permite que arquivos de imagem e vídeo sejam pesquisados ​​por título, descrição e palavras-chave de metadados. 

O sistema de gerenciamento de arquivos do DAM também pode ser personalizado para marca, cor e fonte. Em outras palavras, o gerenciamento de arquivos permite a limpeza dos recursos visuais e garante que sejam facilmente acessíveis.

4. Arrumar por categoria

Agora que os ativos digitais foram eliminados, é hora de iniciar o próximo nível de limpeza: organizar seus ativos de mídia por categoria. Os metadados desempenham um papel importante nessa tarefa. 

Metadados são dados que fornecem informações sobre outros dados – neste caso, sobre seus vários arquivos visuais. Eles são essenciais para limpar e criar uma loja online que espalhe alegria.

Os metadados de ativos visuais se enquadram em duas categorias:

Metadados técnicos – geralmente derivados do dispositivo usado para criar a imagem ou vídeo. Incluem informações sobre o modelo da câmera, data de criação, tamanho do arquivo, formato do arquivo, resolução, local onde a foto foi tirada, pontos por polegada (DPI), no caso de vídeo, duração e orientação. 

Os metadados técnicos estão sempre localizados no ativo e são registrados quando ele é criado. Os sistemas DAM podem ler essas informações automaticamente.

Metadados descritivos – são os dados que descrevem o conteúdo do ativo, incluindo informações como título, descrição, nome do fotógrafo, ID do produto, tipo de licença, categoria, data de expiração dos direitos, fonte, palavras-chave. 

Os metadados descritivos não estão contidos nos próprios arquivos de mídia, mas devem ser salvos no banco de dados do DAM. Os DAMs modernos usam Inteligência Artificial (IA) para adicionar automaticamente os metadados descritivos aos ativos e garantir a consistência.

Quando os arquivos de mídia são rotulados de forma precisa e consistente para que os usuários do DAM possam localizá-los intuitivamente, eles se tornam acessíveis e utilizáveis. 

Caso contrário, os ativos são rapidamente perdidos e precisam ser recriados, o que custa recursos e tempo. Por exemplo, os ativos visuais podem ser categorizados em títulos como campanhas de e-mail, site, panfletos, banners, páginas de destino, rede social e lançamento.

5. Mantenha apenas os ativos que o fazem feliz

Agora que você tem uma casa para seus ativos e todos eles estão categorizados, é hora de decidir o que manter e o que não. Idealmente, você não toma essas decisões sozinho, mas busca o apoio de vários grupos de interesse. 

Os DAMs modernos permitem que você trabalhe diretamente nos arquivos de mídia com parceiros externos. Isso é muito mais eficiente do que, por exemplo, trocar arquivos zip por e-mail ou compartilhamento de arquivos, o que significa o dobro da carga de trabalho e onde a visão geral das versões é rapidamente perdida.

Usar um DAM oferece um processo de compartilhamento visual limpo, onde os arquivos originais são compartilhados por meio de um site, com cada pessoa recebendo níveis de permissão apropriados. 

Cada vez que um ativo é adicionado, removido, renomeado ou substituído por novas versões, esses ativos compartilhados são atualizados automaticamente, garantindo que o DAM seja a única fonte de verdade para todos os ativos de mídia dentro e fora de sua empresa.

Na maioria dos DAMs, os participantes que recebem um link podem visualizar e navegar em cada ativo, baixar arquivos individuais ou a coleção inteira. Esse acesso torna muito mais fácil discutir, revisar e tomar decisões sobre quais imagens são realmente agradáveis.

Candidíase oral: como prevenir e tratar esse problema

Existem uma série de doenças que podem acometer a sua saúde bucal, sendo que algumas podem acabar atacando os dentes, e outras em diferentes locais da boca, como é o caso da candidíase oral.

Nesse artigo veremos tudo sobre a candidíase oral, entendendo sobre o que se trata essa doença, quais os sintomas, tratamentos, formas de prevenção e a importância da ajuda de profissionais odontológicos de plano odonto empresa nesse processo. Confira!

O que é candidíase oral?

A candidíase oral é uma doença bastante comum e conhecida, e que acomete principalmente os bebês. Essa patologia é causada pelo fungo Candida albicans, que se aloja na região da boca e gera uma infecção. 

Ela é uma doença que acaba acontecendo mais em bebês e gerando mais riscos em pessoas de pouca idade justamente pela baixa imunidade, ou então em pessoas adultas que possuem o sistema imunológico deficiente devido a outras complicações, como a gripe.

Normalmente a principal característica dessa infecção é a formação de placas brancas na língua ou na gengiva, exatamente pelo acúmulo do fungo citado anteriormente. 

Caso você ou seu filho esteja com a doença, é perceptível essa aparência das “bolhas” esbranquiçadas e, caso você raspe essa região, é possível que haja dor e sangramento.

Apesar de ser uma patologia que não apresenta grandes riscos para a vida das pessoas, ela pode se desenvolver e se espalhar por outras regiões, tais como:

  • Gengiva;
  • Céu da boca;
  • Garganta;
  • Amídalas.

Por isso a recomendação é que, se você observar esse sinal explícito das manchas brancas nessa região, consulte um médico ou o seu odonto empresarial para entender melhor quais são os próximos passos que você deve tomar.

Sintomas

O sintoma mais característico dessa doença, e que faz com que ela se diferencie de outras infecções bucais, é justamente o aparecimento dessas manchas brancas na língua e na gengiva. 

Entretanto, existem também outros sintomas que podem aparecer, justamente por se tratar de uma infecção.

Normalmente, junto das manchas brancas, é comum que o portador da candidíase oral sinta dores durante a movimentação da boca e sangramento, visto que, quando os alimentos entram em contato com as feridas, isso pode causar uma dor bastante incômoda.

Quando buscar o seu hospital e postos de saúde, ou então entender como funciona plano odontologico empresarial para saber o prognóstico da doença, é importante relatar os sintomas apresentados para que o especialista possa dar um parecer mais preciso sobre a condição.

Causas da candidíase oral

Como dissemos, essa é uma patologia bastante comum, e costuma aparecer em situações específicas. 

Normalmente a presença dessa doença está associada a um sistema imunológico debilitado, que não consegue enfrentar o fungo, permitindo que ele fique alojado em excesso na região afetada.

O fungo da candidíase pode ser encontrado na pele e nas mucosas, e quando ele acaba encontrando um sistema imunológico enfraquecido, fica fácil para ele se espalhar e crescer.

O que pode acabar causando esses problemas que, apesar de não serem tão preocupantes, podem ser bastante incômodos, especialmente para os bebês.

Prevenção

Quando você busca descobrir plano odontologico empresarial como funciona para entender também mais sobre essa doença, certamente os especialistas passarão maneiras de se prevenir desse tipo de problema.

Como essa doença está muito relacionada à falta de imunidade qualificada, o principal passo para evitar que a candidíase oral afete a sua saúde bucal ou dos seus filhos e parentes, é fundamental que todos busquem aumentar a imunidade. Mas como fazer isso?

Bom, a imunidade está muito ligada a práticas alimentares e de rotina. Nesse sentido, para fortalecer a imunidade cada vez mais, é fundamental trabalhar a sua alimentação, optando por alimentos mais saudáveis e que possuem as vitaminas necessárias que o corpo precisa.

É bastante comum que dentistas de plano odontologico para microempreendedor individual recomendem, por exemplo, alimentos com bastante fonte de vitamina B12, ferro e outros minerais importantes. 

Além da questão alimentar, outro caminho importante para evitar essa patologia, são os cuidados com a higienização bucal. 

Uma boca bem cuidada e higienizada dificulta a ação dos fungos nesta região. Dessa maneira, escovar os dentes regularmente, utilizar fio dental e enxaguantes bucais com frequência pode ser uma ótima maneira de prevenir a candidíase oral. 

 

Conteúdo desenvolvido pela equipe do Conviva Melhor, blog criado com o intuito de melhorar a saúde e o bem-estar por meio de conteúdos que reforçam a importância dos cuidados regulares.

Tipos de obras

Uma obra é qualquer produto ou colheita, seja material ou intelectual, feito pelo homem. Em arquitetura e engenharia, a palavra é usada para se referir à obra, que se refere ao processo de construção de um edifício ou de qualquer tipo de infraestrutura.

Uma obra civil está intimamente ligada ao desenvolvimento de infraestruturas de uma determinada população. É o procedimento utilizado para realizar uma determinada construção com o auxílio de certas ciências como a química, a física, o cálculo e a geologia, onde os trabalhos realizados estão relacionados com a hidráulica, transportes, edifícios, etc.

Em suma, é qualquer obra privada ou pública onde são realizadas várias obras de engenharia civil ou construção, tais como:

  • Movimento de terras.
  • Escavação.
  • Condicionamento ou instalações.
  • Montagem e desmontagem de elementos pré-fabricados.
  • Reabilitação, transformação, demolição, desmontagem, trabalhos de pintura, limpeza, conservação, saneamento, etc.

Veja também: Descubra mais sobre construção civil agora mesmo.

Tipos de trabalho

Trabalho residencial

São os projetos de construção que têm por objetivo a concepção e a construção de casas ou apartamentos para uso como residência. Estas obras são construídas com materiais diversos, sendo que os mais preferidos atualmente referem-se aos que proporcionam o máximo conforto e elevada poupança de energia.

Essas obras podem ser de pequeno porte, que são casas onde moram poucas famílias, de médio porte como residências onde moram várias famílias, ou de grande porte, onde costumam ser construídas várias estruturas onde muitos parentes moram em um mesmo condomínio, como o arranha-céus.

Obras comerciais

Refere-se às construções destinadas a escritórios, restaurantes e lojas. Essas obras podem ser associadas ou independentes.

Trabalhos institucionais

Refere-se às obras que se destinam a atender de certa forma a sociedade, geralmente administradas pelo Estado, como é o caso de tribunais, estações elevatórias, hospitais, estádios, delegacias, parques, departamentos executivo e legislativo, etc.

Obras Públicas

São obras de edificação ou infraestrutura sob controle governamental, promovidas por uma administração pública, com o objetivo de beneficiar a comunidade. Existem várias obras públicas, tais como:

Tipos de obras públicas:

Obras de infraestrutura urbana : referem-se à construção de parques, ruas, iluminação pública, etc.

Obras de infraestrutura hidráulica:

referem-se à construção de estações de tratamento, redes de distribuição, barragens, etc.

Obras de infraestrutura de transporte:

são todas as obras que abrangem o transporte rodoviário, fluvial ou marítimo, ferroviário, aéreo e dutoviário, como rodoviário, rodoviário, rodoviário, canal, porto, aeroporto, heliporto, duto, etc.

Edifícios públicos:

inclui saúde, edifícios educacionais, escritórios, etc.

Obras industriais:

São conhecidos como trabalhos industriais as construções projetadas e elevadas que terão como fim a elaboração, o processo e o desenvolvimento de determinados produtos ou serviços que sejam por necessidade ou que supram os gostos da comunidade.

Essas construções são feitas de forma independente, ou seja, os edifícios construídos são separados uns dos outros. Estas são construídas em várias escalas, onde é possível fabricar desde uma pequena obra com dimensões iguais a uma sala, até obras de grande porte que servirão como armazém ou como grandes blocos de armazém.

« Older posts

© 2021 Cidan Dicas

Theme by Anders NorenUp ↑