Enquanto milhares de pessoas tentam perder peso por motivos estéticos ou de saúde, também há aqueles que, por mais que tentem, não conseguem ganhar massa. As razões vão desde características genéticas, como alta taxa metabólica basal (a quantidade de energia que o corpo gasta apenas para se manter vivo) herdadas na família, até o uso de medicamentos específicos ou doenças como hipertireoidismo, diabetes e condições psiquiátricas como como depressão crônica ou ansiedade.

Ir à academia todos os dias pode parecer uma contradição no caso de quem busca ganhar peso, mas focar em exercícios de força e resistência é uma excelente estratégia, complementada por um cardápio balanceado, para ganhar peso de forma saudável. Confira ioimbina para mais informações sobre controle de peso.

Não existe um menu específico ou receitas mágicas que devem ser seguidas para ganhar peso. Seja para aumentar o percentual de gordura ou massa magra, a orientação é semelhante: aumentar principalmente a ingestão de calorias. O que fará a diferença é a qualidade dos alimentos consumidos e a atividade física escolhida. Mas antes de definir a dieta, o mais importante é descartar a existência de possíveis patologias.

Além de insustentável, o uso de esteroides anabolizantes aumenta o risco de doenças cardíacas, sobrecarregando o fígado e diminuindo o colesterol HDL (considerado um protetor cardiovascular). Há também consequências específicas de gênero: as mulheres podem sofrer de fatores como aumento do clitóris e aumento da acne, enquanto os homens podem se tornar mais agressivos.

Para ganhar peso de forma saudável e permanente, a chave é fazer boas escolhas alimentares e mudar hábitos, incluindo exercícios físicos entre eles.

Aqui estão algumas diretrizes básicas a esse respeito.

1. Coma mais calorias saudáveis

A primeira orientação é comer mais calorias do que gasta. Este é calculado pelo gasto metabólico basal. Uma vez que o nutricionista tenha o resultado, é possível focar em um cardápio estratégico aumentando a quantidade de calorias, que não deve vir de nenhum tipo de alimento. Um dos grandes erros é querer ganhar peso comendo frituras, doces e outros alimentos ultra processados. Mesmo estando abaixo do peso, é possível se tornar uma ‘falsa gorda’, com alto índice de gordura corporal e riscos à saúde.

A dieta deve ser tão saudável quanto a de quem quer emagrecer, com a diferença de que alimentos saudáveis ​​como frutas, verduras, nozes e carnes têm um limite de ingestão consideravelmente maior.

2. Intercalar comidas

Além das três refeições principais, é preciso criar o hábito de intercalar outras. A pessoa pode estar acostumada a não comer muito e se sentir cheia rapidamente, mesmo após uma pequena refeição. Portanto, comer lanches saudáveis ​​ao longo do dia é uma boa estratégia para aumentar o consumo sem se sentir saciado. Uma dica é optar por alimentos com alta densidade calórica e menor volume, como frutas desidratadas, azeite de oliva (para temperar os alimentos) e oleaginosas.

3. Respeite os tempos do corpo

Para que o ganho seja constante e que o peso não seja perdido rapidamente, deve haver uma mudança gradual de hábitos que facilite a manutenção da nova rotina. Ganhar peso de repente não é o ideal, nem perder peso rapidamente. Uma estimativa saudável para um adulto é ganhar em média um ou dois quilos por mês, dependendo do tamanho.

4. Suplementos, com a ajuda de um especialista

No dia em que a pessoa não puder consumir as calorias programadas, ela pode se ajudar tomando um suplemento de alto teor calórico. Uma porção contém cerca de 600 calorias, principalmente carboidratos. É o equivalente a quatro pães franceses, uma quantidade que muitos não podem comer. Mas essas bebidas devem ser tomadas apenas com receita médica, para não acabar substituindo os alimentos por elas.

É sempre melhor comer, pois é assim que obtemos os nutrientes e as fibras que o shake não possui. Além disso, se for tomar, é melhor depois do jantar, para que não tire a fome.