Categoria: Dicas Gerais (Page 2 of 22)

Air: A história de Michael Jordan

O ÚLTIMO ANO DA JORDÂNIA NO TIME MAIS LENDÁRIO DA HISTÓRIA

Michael Jordan é responsável por alguns dos momentos mais inesquecíveis da história do basquete e uma das coisas que fizeram da NBA o que é hoje. 

Quando as pessoas pensam em Jordan, elas se lembram de seus chutes espetaculares, a dança de seu corpo com a bola, sua sintonia com a quadra, seu incrível vôo para a cesta. Antes de contratos milionários e patrocínios lucrativos, poucas pessoas esperavam em frente à televisão pelos jogos da NBA, que raramente eram transmitidos. 

E então veio o Jordão. A partir desse momento, tudo mudou e inaugurou-se uma nova era, capitalizada no talento de 23, na sua vontade e competitividade ímpar. Por trás de sua grandeza, um líder nato estava escondido. no ar.

OPINIÕES CRÍTICAS SOBRE O LIVRE A HISTÓRIA DE MICHAEL JORDAN

“O melhor livro sobre a Jordânia.” Washington Post

“Um livro incrivelmente elogiado sobre o Rei do Ar.” Marca

“O livro que analisa o jogador e o homem, e que serviu de inspiração para a série The Last Dance.” A razão

«Perspectiva, equilíbrio, análise. É isso que Halberstam oferece.” New York Times

“Magnífico. Cheio de joias.” Examinador irlandês

“Lendário.” NBC Sports

“O único livro de esportes que eu vou ler.” ESPNRádio

“Um livro fantástico escrito por um jornalista incrível.” O Seattle Times

“A vida de Jordan prende você como nenhuma outra.”

Conheça nossas redes sociais:

  • Nosso Apsense está repleto de imagens da estética brasileira!
  • Nosso Medium compartilha nossas últimas notícias do esporte
  • Nossa conta no Quora abre questionamentos para a área esportiva.
  • Em nossa conta do GitHub compartilhamos nossas novidades em tecnologia.
  • O Gravatar é repleto de produtos bacanas e dicas de lifestyle
  • Vimeo com vários vídeos dos bastidores da BR Aesthetics
  • WordPress com nosso blog de notícias
  • Tumblr com nosso espaço!

 

Confira uma seleção especial de camisas de basquete da NBA, coleções de times de basquete da NBA originais com até 50% de desconto. Confira essas e outras ofertas em até 6x sem juros. Brazillian Aesthetics, a estética brasileira em suas mãos, deixamos o convite para conhecer também nossas camisas do campeonato italiano.

4 razões pelas quais os advogados devem assumir casos pro bono

Advogados de sucesso não limitam suas habilidades e conhecimentos ao escritório. Não é incomum que advogados prestem seus serviços jurídicos à comunidade e a oportunidades motivadas por paixão. Também conhecido como  trabalho pro-bono , os advogados podem assumir casos sem custo para o cliente.

Por que um advogado aceitaria um caso desses sem pagamento? Além de servir ao bem maior, o trabalho pro bono é uma oportunidade para os advogados diversificarem sua experiência e aprimorarem seu conjunto de habilidades. Um advogado completo pode atender melhor seus clientes por ter uma compreensão dos diferentes tipos de casos e estilos de vida de onde eles vêm.

Encontrar tempo para casos pro bono pode ser um desafio, mas a recompensa é quase sempre grande. Continue lendo para saber por que o trabalho pro bono é importante.

Clique e saiba mais informações sobre Inventário.

4 razões pelas quais os advogados devem fazer trabalho pro bono

1. Diversificando a experiência

Muitas vezes, o trabalho pro bono permite que os advogados pratiquem em uma área do direito que não é seu foco principal. As empresas muitas vezes recebem listas de casos que precisam de advogados, para os quais podem optar por assumir casos que acreditam poder apoiar. Trabalhar em casos pro bono também expande os conjuntos de habilidades e experiência existentes, especialmente para advogados em ascensão. Por exemplo, um litigante que nunca discutiu no tribunal ou um advogado corporativo que não fez contratos podem assumir casos pro bono para ganhar experiência prática no local.

2. Rede e Colaboração

O trabalho pro bono muitas vezes leva os advogados a buscar oportunidades de trabalhar com outros advogados, seja em seu escritório ou fora dele. Isso não apenas beneficia ambas as partes, mas constrói relacionamentos e cria mais oportunidades entre empresas no futuro. O setor jurídico é grande, mas também pode ser coeso em certas áreas de atuação ou locais. O trabalho pro bono facilita as relações e redes profissionais, especialmente com outros advogados que trabalham para fundações de assistência jurídica.

3. Fornecendo Autorrealização

O pro bono pode ser feito sem a expectativa de ganho financeiro, mas dá retorno. De fato, para muitos advogados, o trabalho pro bono os ajuda a redescobrir seu compromisso com a advocacia. Também atua como um lembrete de que a intenção de praticar a advocacia é ajudar os outros.

Claro, ainda é um serviço incrível para o cliente. O trabalho pro bono permite que pessoas e comunidades carentes tenham acesso a serviços jurídicos capazes que de outra forma não teriam.

4. Justiça antecipada

O direito está entre as profissões mais antigas do mundo. Começou na Grécia e em Roma entre 200 e 600 aC, mas pode ser ainda mais antigo. O campo jurídico continuou a se desenvolver, mas a compreensão e a descrição dos advogados deveriam “fornecer a liderança política esclarecida que protegia ‘vida, liberdade e propriedade’. “

Os advogados são protetores do público e contribuintes para a comunidade local. Isso significa fornecer acesso a serviços jurídicos para todas as pessoas, independentemente das circunstâncias individuais, e não apenas para aqueles que podem pagar. Os advogados podem fazer uma diferença positiva na vida das pessoas e, muitas vezes, daqueles que mais precisam.

Como gerenciar o trabalho pro bono com casework faturável

A advocacia é uma profissão exigente. Muitos escritórios e advogados lutam para encontrar tempo e energia de sobra para assumir um caso pro bono, não importa o quanto se sintam apaixonados pela causa.

Aqui estão algumas dicas para advogados gerenciarem o trabalho pro bono com casos faturáveis:

Rastrear tempo e despesas

Alguns escritórios de advocacia podem exigir que os associados e paralegais rastreiem suas horas e despesas pro bono. Todos os envolvidos em um caso pro bono, incluindo a equipe de suporte, devem acompanhar o tempo gasto no caso e os custos gastos para representar os clientes pro bono.

Além de acompanhar o tempo para as regras e regulamentos da ABA, manter registros precisos também ajuda os advogados a planejar futuros casos pro bono e alocar tempo e recursos de forma eficaz. É aqui que é benéfico ter um recurso que permite ter vários cronômetros para rastrear o tempo à medida que você alterna entre casos faturáveis ​​e pro bono.

Determinar a disponibilidade

Fazer um trabalho pro bono não ajuda se o advogado não tiver tempo para se dedicar a isso. Os advogados devem sempre considerar se têm espaço em suas agendas para assumir um caso pro bono, especialmente um caso complexo.

Escolha projetos de paixão

Quanto mais apaixonado um advogado for por uma questão, mais gratificante será o trabalho. Assumir o trabalho pro bono junto com outros casos é difícil, por isso é melhor que os advogados tenham uma forte convicção sobre a causa para se manterem motivados e investidos.

Casos Pro Bono Mudam Vidas

Advogados são dedicados a ajudar as pessoas. O trabalho pro bono literalmente muda vidas e ajuda as pessoas que mais precisam, como vítimas de violência doméstica, refugiados, imigrantes e pessoas de poucos recursos. Aceitar um trabalho pro bono pode ser desafiador, mas vale a pena as recompensas.

Como lavar e limpar sua bicicleta

Embora dito como tal, não pode realmente ser considerado uma tarefa mecânica, para manter os componentes de nossas bicicletas em perfeitas condições e economizar em avarias, uma das tarefas de manutenção mais importantes a serem tratadas é a limpeza .

Manter sua moto limpa após cada passeio tem uma série de benefícios importantes que você não pode ignorar: prolongar a vida útil da transmissão e componentes, reduzir o risco de quebras e o mais importante, nosso bolso agradecerá por ter que investir menos. e reparos.

Começamos então com os pontos mais importantes que devemos seguir ao lavar nossa bicicleta.

O que preciso para limpar minha bicicleta?

Como fizemos no primeiro capítulo de mecânica de motociclistas em que falamos sobre as ferramentas necessárias para podermos realizar nossa manutenção em casa, insistimos que é totalmente recomendável (não essencial) obter um suporte de oficina que permitirá realizar todo este tipo de tarefas de uma forma cómoda e simples.

Outro elemento que obviamente não pode faltar é a água. Idealmente, podemos usar uma mangueira com alguma pressão e uma daquelas pistolas com diferentes tipos de jato, mas se isso não for possível, um ou dois baldes de água serão mais que suficientes. Também usaremos algum tipo de sabão desengordurante do tipo Fairy ou KH7 , tenha cuidado com este último porque deve ser muito, muito bem enxaguado, pois é um pouco agressivo com metais, ou então você sempre pode optar por um específico para bicicletas.

O resto dos utensílios que vamos precisar serão: esponjas, escovas, vários panos ou trapos (uma t-shirt velha por exemplo) e claro, para finalizar, um bom lubrificante específico.

Limpe a corrente

Um dos pontos mais importantes na hora da limpeza é a corrente . Essa é uma das partes onde mais se acumula sujeira e que mais influencia no funcionamento da transmissão. Embora haja cada vez mais lubrificantes com aditivos que impedem a aderência de sujeira, é normal que poeira, areia ou lama permaneçam na corrente. Se não o limparmos adequadamente, toda essa sujeira acumulada entre os elos fará com que o desgaste das coroas e rodas dentadas acelere consideravelmente , com o consequente gasto.

Para a limpeza usaremos um produto desengordurante, que sempre cuidaremos de enxaguar bem para evitar que, ao relubrificar, os restos deste removam a nova camada de lubrificante que aplicamos. Além disso,  deve-se ter cuidado e atenção especial na aplicação do desengraxante, pois, acidentalmente, podemos fazê-lo atingir partes mais delicadas (como rolamentos, movimento central, etc.) e retirar inadvertidamente o lubrificante que se encontra em seu interior.

Depois de aplicar o desengordurante com sabão e com a ajuda de um pincel, vamos esfregar toda a superfície da corrente, rodas dentadas e placas para remover o máximo de sujeira possível . Nesse ponto, uma ajuda interessante seria um limpador de corrente, que torna esse processo muito mais fácil e rápido. Existem muitas opções no mercado e com certeza será um daqueles utensílios que você vai acabar aproveitando mais com o tempo. Mas você sempre pode optar por fazer um caseiro. Preste atenção especial às polias, aquelas pequenas rodas dentadas que guiam a corrente pelo câmbio traseiro, pois este é um ponto onde muita sujeira se acumula e tendemos a ignorar.

Depois de descalcificar toda a sujidade, vamos enxaguar a corrente tentando não deixar vestígios de sabão ou desengordurante.

Mangueira sim, mas…

Encontramo-nos enxaguando a corrente, placas, rodas dentadas e outros componentes da transmissão para os quais removemos, com a ajuda de um desengordurante com sabão, toda a sujeira impregnada. Se estivermos limpando com a ajuda de uma mangueira, devemos diferenciar entre água com força e água sob pressão. A aplicação de água pressurizada na bicicleta pode ser perigosa , pois pode “esvair” em áreas internas onde não é altamente recomendável que a água chegue, pois pode causar oxidação e deterioração prematura sem que percebamos. Portanto , fuja de máquinas do tipo karcher ou caixas de postos de gasolina , uma mangueira com um bom jato é a melhor solução.

No caso de não podermos usar uma mangueira, não teremos escolha a não ser recorrer ao tradicional balde de água de uma vida.

Com a transmissão limpa, o próximo passo será remover o restante da sujeira que possa ficar na moto, como lama ou poeira com o auxílio da mangueira, uma esponja e uma escova para ajudar você a chegar nas áreas menos acessíveis. Recomendamos fazê-lo nesta ordem, pois se começamos aplicando a mangueira em toda a moto, ao limpar a corrente, ela libera muita sujeira e com certeza devemos passar por cima do restante da moto novamente.

Atenção com a limpeza dos discos de freio

Os discos de freio de nossa moto podem se tornar um dos pontos críticos quando se trata de limpeza, não porque seja complicado, mas porque é um ponto delicado. É importante que você evite tocá-los com as mãos . A graxa de nossos dedos pode ficar impregnada no disco e afetar negativamente a frenagem. Você não seria o primeiro que, ao tocar o disco com as mãos sujas, contaminou as pastilhas de freio, tendo que substituí-las. É altamente recomendável que, se você for manuseá-los, coloque algumas luvas de látex limpas, elas economizarão mais de uma decepção.

Continuando com os discos de freio, deve-se ter cuidado ao lubrificar as peças próximas a eles . Se possível, evite usar lubrificantes em spray na corrente, pois você pode respingar os discos. Um pequeno truque é cobrir o disco com um pano limpo quando estiver lubrificando a corrente e as áreas de transmissão.

Quando terminar de limpar todas as peças da bicicleta, procederemos à sua secagem. Não é aconselhável deixar a bicicleta secar sozinha, pois neste momento nossa bicicleta não está lubrificada e a água pode fazer o seu trabalho. A melhor forma de secá-lo é com um compressor de ar, mas como nem todo mundo tem um, é normal fazê-lo com uma toalha ou pano velho.

Ja estamos terminando

Depois de terminar de secar a bicicleta, basta lubrificar novamente a corrente, as partes móveis da transmissão, como o câmbio traseiro, o câmbio e os pedais automáticos . Recomendamos que você use um óleo lubrificante ou cera de boa qualidade, esse é um ponto onde você não deve “riscar”. Quando terminar de lubrificar, não se esqueça de remover qualquer excesso de óleo que possa ficar tanto na corrente como no resto dos componentes, desta forma evitará acumular sujidade, lembre-se que o óleo é como um íman para o pó.

Todo esse processo, com o qual você conseguiu prolongar a vida útil dos componentes da sua bicicleta, não levará nem 15 minutos assim que você praticar um pouco. Para te ajudar um pouco mais e não ter dúvidas, aqui está um vídeo no qual você pode ver todo o processo graficamente.

Confira mais conteúdos em nosso site. Aproveite e compartilhe em suas redes sociais. Alguma sugestão no que podemos melhorar? Deixe nos comentários.

 

O papel da nutrição na recuperação da dependência de álcool e drogas

O abuso de álcool e drogas tem um grande impacto no corpo humano. A recuperação do abuso de álcool ou drogas é um processo gradual, e a nutrição é uma das muitas questões que requerem atenção. O alcoolismo é especialmente difícil de se recuperar, pois o estágio de desintoxicação é complicado (exigindo monitoramento cuidadoso, medicamentos e apoio) e o próprio álcool é difícil de evitar no decorrer da socialização cotidiana. A alimentação é vital para ajudar o corpo a se reconstruir e manter a saúde. Veja também orlistat para mais informações.

Quando você abusa de álcool e drogas, você:

  • Consumir menos alimentos (exceto com o uso de maconha)
  • Escolha alimentos que são menos nutritivos e/ou podem pular refeições
  • Aumente a velocidade com que seu corpo consome energia
  • Aumentar a perda de nutrientes através de vômitos e diarreia

Danifique seu intestino para que ele não possa absorver os nutrientes dos alimentos adequadamente

A comida influencia a forma como o cérebro funciona. Quando seu corpo não está produzindo substâncias químicas cerebrais suficientes (neurotransmissores) ou as substâncias químicas estão desequilibradas, você pode se sentir irritado e ansioso. Você pode sofrer de desejos por comida, ansiedade e incapacidade de dormir. O estresse resultante também pode afetar a memória e/ou tornar as pessoas paranóicas, cansadas, insatisfeitas ou deprimidas.

O que e como comer durante a recuperação

Durante a recuperação, você deve comer uma dieta que equilibre os níveis de serotonina (um hormônio que ajuda no relaxamento) no cérebro. Isso envolve comer alimentos ricos em carboidratos, especialmente os carboidratos complexos encontrados em alimentos ricos em amido como leguminosas (por exemplo, feijão, lentilha e ervilha), vegetais de raiz (por exemplo, batata e cenoura), massas e pães. Comer esses alimentos em combinação com proteínas em suas refeições irá mantê-lo no seu melhor.

Deficiências em vitaminas do complexo B, como tiamina, folato ou ácido fólico e B12, são comuns no alcoolismo, e ocorrem frequentemente estoques inadequados de outras vitaminas B e vitamina C. O consumo crônico de álcool também aumenta a perda de minerais como zinco, magnésio e cálcio do corpo. O ferro é uma exceção a isso e raramente é deficiente porque o álcool danifica o revestimento do estômago, aumentando assim a absorção de ferro.

No primeiro ano após parar de usar álcool ou drogas, suas necessidades nutricionais são maiores do que o normal. Você precisa ter certeza de que está alimentando seu corpo com boa comida diariamente. Mesmo se você comer uma dieta saudável e variada enquanto usa drogas e álcool, menos nutrientes estão disponíveis para satisfazer as necessidades nutricionais, já que muitos desses nutrientes estão sendo usados ​​para desintoxicar seu corpo.

A desnutrição durante o uso de álcool se manifesta de várias maneiras. A curto prazo, você pode ficar muito cansado e ter um sistema imunológico mais fraco – o que significa que você está mais suscetível a infecções. Outros sintomas incluem problemas dentários, problemas digestivos (por exemplo, diarréia, constipação e gases), problemas de pele e alterações no sabor dos alimentos. Durante o uso prolongado de álcool, há riscos de danos cerebrais, danos nos nervos, doenças hepáticas, problemas cardíacos e pancreáticos e certos tipos de câncer. Esses problemas precisam ser identificados e tratados durante o processo de recuperação – idealmente por uma equipe de profissionais de saúde.

Nos estágios iniciais de desintoxicação e recuperação, você precisa introduzir as refeições lentamente, pois seu corpo pode não estar acostumado a digerir alimentos. É uma boa ideia começar com refeições pequenas e frequentes. Algumas pessoas podem começar a ganhar peso. Se você quiser conselhos sobre controle de peso, consulte um nutricionista. Se, no entanto, ganhar quantidades adequadas de peso o incomoda ou seu comportamento alimentar parece fora de controle, você pode precisar de ajuda profissional para problemas de imagem corporal e/ou distúrbios alimentares.

A comida não deve substituir as drogas como mecanismo de enfrentamento. Açúcar e cafeína são substitutos comuns usados ​​durante a recuperação porque produzem altos e baixos. Esses alimentos com baixo teor de nutrientes podem impedir que você consuma alimentos saudáveis ​​suficientes e afetam seu humor e desejos. No entanto, esses alimentos são preferíveis a iniciar o uso de álcool ou drogas novamente.

Uma dieta para recuperação deve incluir:

Carboidratos complexos (50% a 55% das calorias que você consome), o que significa muitos grãos, frutas e vegetais

Produtos lácteos ou outros alimentos ricos em cálcio (bebidas fortificadas com cálcio, tofu, couve), duas a três xícaras por dia

Proteína moderada (15% a 20% das calorias): duas a quatro onças duas vezes ao dia de carne ou peixe (ou outro alimento rico em proteínas, como tofu)

Opções de gordura (30% das calorias), de preferência bons óleos, como canola, azeitona, linhaça e aqueles encontrados em peixes

Estruturas e serviços de apoio devem fazer parte da dieta de recuperação

As intervenções comportamentais são de uso limitado sem grupos sociais de apoio e estruturas que melhorem o acesso a alimentos seguros e nutritivos, aliviem a pobreza e tratem outros problemas de saúde mental. Os prestadores de cuidados de saúde e diferentes agências comunitárias, incluindo organizações específicas para o tratamento de álcool e drogas, têm serviços gratuitos de saúde mental, nutrição e alimentação, bem como outros serviços sociais. Essas são ótimas ferramentas no processo de recuperação e podem fornecer assistência e suporte holísticos se você estiver se recuperando do vício.

Lixo Eletrônico e seus Efeitos Negativos no Meio Ambiente

A verdadeira questão é: para onde vão todos esses eletrônicos obsoletos, desatualizados ou que não funcionam?

Lixo eletrônico, também conhecido como lixo eletrônico, é qualquer produto eletrônico, ou produto contendo componentes eletrônicos, que atingiu o fim de seu ciclo de vida útil. Sem o conhecimento de muitos consumidores, os eletrônicos realmente contêm substâncias tóxicas – portanto, eles devem ser manuseados com cuidado quando não forem mais desejados ou necessários. Se um produto estiver desatualizado, os consumidores podem doá-lo para alguém que ainda o considere valioso. Muitos varejistas também oferecem programas de troca ou incentivos para pessoas que procuram atualizar eletrônicos que exigem a entrega de um modelo mais antigo; os varejistas podem reutilizar ou reaproveitar os modelos mais antigos. No entanto, se um produto estiver totalmente inutilizável ou quebrado, em vez de apenas ser jogado no lixo, ele deve ser jogado fora por um transportador ou reciclador de lixo eletrônico certificado, ou levado a um depósito designado em um prédio do governo,ambiente global se descartado de forma inadequada.

As consequências do descarte inadequado de lixo eletrônico em aterros sanitários ou outros locais sem despejo representam sérias ameaças à saúde pública atual e podem poluir os ecossistemas por gerações. Quando os eletrônicos são descartados de forma inadequada e acabam em aterros sanitários, substâncias químicas tóxicas são liberadas, impactando o ar, o solo, a água e, finalmente, a saúde humana. Contaminação do solo pode ser um assunto de seu interesse, confira já.

Os efeitos negativos no ar

A contaminação do ar ocorre quando o lixo eletrônico é descartado informalmentedesmontando, triturando ou derretendo os materiais, liberando no meio ambiente partículas de poeira ou toxinas, como dioxinas, que causam poluição do ar e prejudicam a saúde respiratória. Lixo eletrônico de pouco valor é frequentemente queimado, mas a queima também serve como uma maneira de obter metais valiosos de eletrônicos, como o cobre. Doenças crônicas e cânceres correm um risco maior de ocorrer ao queimar lixo eletrônico porque também libera partículas finas, que podem viajar milhares de quilômetros, criando inúmeros riscos negativos à saúde de humanos e animais. Materiais de maior valor, como ouro e prata, são frequentemente removidos de eletrônicos altamente integrados usando ácidos, dessoldagem e outros produtos químicos, que também liberam fumaça em áreas onde a reciclagem não é regulamentada adequadamente.

A poluição do ar causada pelo lixo eletrônico impacta mais algumas espécies animais do que outras, o que pode estar colocando em risco essas espécies e a biodiversidade de certas regiões que são cronicamente poluídas. Ao longo do tempo, a poluição do ar pode prejudicar a qualidade da água, o solo e as espécies vegetais, criando danos irreversíveis nos ecossistemas. Por exemplo, um centro informal de reciclagem em Guiyu, na China, formado por interessados ​​em extrair metais valiosos do lixo eletrônico e, posteriormente, fez com que a região tivesse níveis extremamente altos de chumbo no ar, que são inalados e ingeridos quando devolvidos à água e ao solo. Isso pode causar danos neurológicos desproporcionais a animais maiores, animais selvagens e humanos na área.

Os efeitos negativos no solo

Quando o descarte inadequado de lixo eletrônico em aterros sanitários regulares ou em locais onde é despejado ilegalmente, tanto os metais pesados ​​quanto os retardadores de chama podem infiltrar-se diretamente do lixo eletrônico no solo, causando contaminação das águas subterrâneas subjacentes ou contaminação das culturas que podem ser plantadas perto ou na área no futuro. Quando o solo está contaminado por metais pesados, as lavouras ficam vulneráveis ​​à absorção dessas toxinas, o que pode causar muitas doenças e não permite que a terra seja a mais produtiva possível.

Quando grandes partículas são liberadas da queima, trituração ou desmantelamento do lixo eletrônico, elas rapidamente se depositam no solo e contaminam também o solo, devido ao seu tamanho e peso. A quantidade de solo contaminado depende de uma série de fatores, incluindo temperatura, tipo de solo, níveis de pH e composição do solo. Esses poluentes podem permanecer no solo por um longo período de tempo e podem ser prejudiciais aos microrganismos do solo e das plantas. Em última análise, os animais e a vida selvagem que dependem da natureza para sobreviver acabarão consumindo as plantas afetadas, causando problemas de saúde internos.

Os efeitos negativos sobre a água

Após a contaminação do solo, os metais pesados ​​do lixo eletrônico, como mercúrio, lítio, chumbo e bário, vazam ainda mais pela terra para atingir as águas subterrâneas. Quando esses metais pesados ​​atingem as águas subterrâneas, eles acabam entrando em lagoas, córregos, rios e lagos. Por esses caminhos, a acidificação e a toxicidade são criadas na água, o que é inseguro para animais, plantas e comunidades, mesmo que estejam a quilômetros de distância de um local de reciclagem. Água potável limpa torna-se difícil de encontrar.

A acidificação pode matar organismos marinhos e de água doce, perturbar a biodiversidade e prejudicar os ecossistemas. Se a acidificação estiver presente nos suprimentos de água, ela pode danificar os ecossistemas a ponto de a recuperação ser questionável, se não impossível.

Os efeitos negativos sobre os seres humanos

Como mencionado, o lixo eletrônico contém componentes tóxicos que são perigosos para a saúde humana, como mercúrio, chumbo, cádmio, retardadores de chama polibromados, bário e lítio. Os efeitos negativos para a saúde dessas toxinas em humanos incluem danos ao cérebro, coração, fígado, rins e sistema esquelético. Também pode afetar consideravelmente os sistemas nervoso e reprodutivo do corpo humano, levando a doenças e defeitos congênitos. O descarte inadequado de lixo eletrônico é incrivelmente perigoso para o meio ambiente global, e é por isso que é tão importante conscientizar sobre esse problema crescente e suas consequências ameaçadoras. Para evitar esses efeitos tóxicos do lixo eletrônico, é crucial fazer um ciclo eletrônico adequado, para que os itens possam ser reciclados, reformados, revendidos ou reutilizados. O fluxo crescente de lixo eletrônico só vai piorar se não for informado sobre as medidas corretas de descarte.

Como a energia solar se compara a outras fontes renováveis de energia

À medida que o mundo se move cada vez mais em direção à sustentabilidade, voltamos nossa atenção para as enormes fontes de soluções de energia limpa disponíveis ao nosso redor na natureza – sol, vento, água e biomassa em particular. Nunca houve qualquer dúvida sobre a magnitude destes, embora o desafio fosse sempre aproveitá-los.

Aqui, explicamos como a energia solar se compara a outras formas de energia renováveis.

Energia Solar versus Vento

Apesar de a tecnologia eólica estar no mercado há muito tempo, ela passou por alguns problemas. A energia inicial obtida do vento é menos cara de produzir, mas as turbinas eólicas exigem muito mais manutenção do que as células fotovoltaicas. Além disso, as usinas eólicas são instaladas em locais distantes, com pouco ou nenhum acesso ao consumidor real. As discoms (empresas de distribuição), por medo de perder negócios, cobraram enormes taxas de rodagem ao longo dos anos, o que tornou a proposta inviável nos últimos tempos.

Eles também são mais perturbadores do que sua contraparte solar, pois são propensos a fazer muito barulho.

Energia Solar versus Hidro

A hidroeletricidade, embora eficaz, geralmente é fornecida através do uso de grandes barragens, o que também significa que o custo inicial de instalação será muito alto. Além disso, a construção de uma barragem tem a capacidade de alterar todo um ecossistema. Usinas hidrelétricas muitas vezes alteram o fluxo natural dos cursos d’água que assumem, criando novos lagos e reduzindo o fluxo de água a jusante. Essas instalações também podem afetar a vida selvagem na área, bloqueando a migração de peixes e alterando os habitats.

Os painéis fotovoltaicos, por outro lado, não alteram o ambiente e são pequenos em comparação com as barragens. Uma das vantagens da energia solar é a sua versatilidade. Uma instalação em terra ou telhado pode ser feita em regiões que muitos pensam que não recebem luz solar suficiente.

Energia Solar versus Biomassa

A queima de biomassa para gerar eletricidade tem algum apelo, pois a biomassa é renovável em algum sentido. No entanto, a logística e o balanço energético geral prejudicam esse argumento, pois é necessária muita energia – principalmente à base de petróleo – para colher e transportar as colheitas para a usina.

O uso de biomassa, como a queima de madeira, resíduos, fumaça de álcool ou gases de aterros sanitários, produz menos energia residual do que combustíveis fósseis ou carvão. Infelizmente, a biomassa cria compostos orgânicos voláteis como monóxido de carbono e óxidos de nitrogênio. Do lado positivo, sua poluição é modesta em comparação com os combustíveis tradicionais. As células fotovoltaicas provam ser superiores novamente, pois não geram emissões e não requerem terra que possa ser usada para cultivos.

Além disso, os painéis solares têm eficiências de até 19%, o que significa que grande parte da energia do sol é convertida em eletricidade. A eficiência da biomassa é muito, muito menor – talvez menos de 1%. A energia solar está a par com as tarifas da rede para a maioria dos consumidores comerciais e industriais na Índia. Se você está pensando em se tornar solar, agora é a hora de fazer a mudança. Os incentivos financeiros do governo ainda estão prontos para serem escolhidos, e você pode ganhar muito como um dos primeiros a adotar a energia solar. Adicionar usina de energia solar em sua fábrica é um excelente projeto por vários motivos: Você economizará cargas de eletricidade, reduzirá sua pegada de carbono; e se você estiver instalando em um local remoto (como uma cabine), terá muito menos com o que se preocupar do que com um gerador a gasolina.

Como fazer um estudo de mercado para o seu negócio?

Uma das frases mais repetidas entre os novos empreendedores é que antes de obter uma empresa de sucesso, é provável que ela tenha alguns fracassos.

E embora esse tipo de circunstância aumente sua experiência, devemos dizer que você pode evitar essa pílula amarga. Como? Com um bom estudo de mercado.

Na verdade, essa é a diferença mais marcante entre um empreendedor comum e os grandes empreendedores que decidem experimentar uma nova oportunidade de mercado. Os primeiros muitas vezes perdem o passo ao se jogarem no ringue às cegas. Enquanto este último estudará suas chances de sucesso para verificar se realmente vale a pena correr o risco.

Felizmente, nos últimos tempos, o conceito de pesquisa de mercado está ganhando cada vez mais popularidade entre os empreendedores iniciantes para ter uma inteligência de mercado mais completa e acertiva. Não seja a exceção! Aqui estão os fundamentos a ter em conta para realizar uma análise deste tipo:

O que é um estudo de mercado?

Ao definir este conceito, é preciso admitir que o nome “estudo de mercado” diz muito. Pois é exatamente isso!

Trata-se da investigação e posterior análise de todas as características do mercado que possam interessar a uma empresa. Abrange um bom punhado de variáveis, como os interesses e necessidades dos usuários ou a situação atual dos concorrentes ou produtos similares.

No entanto, seria impossível mencionar uma lista dos itens a serem considerados. Afinal, cada negócio é diferente e, portanto, precisará de fontes de informação diferentes. Por isso é importante que o responsável pelo desenvolvimento do estudo de mercado seja uma pessoa com senso crítico para extrair dados valiosos.

O resultado final após a conclusão da pesquisa de mercado será uma mudança de perspectiva ou um aumento na mesma. Agora os líderes deste novo empreendimento terão um quadro de referência para tomar decisões mais precisas.

Graças a isso , a margem de erro será muito reduzida ao entrar no mercado. Mas isso não é tudo! Então é necessário repetir este estudo com alguma frequência para atualizar o que se sabe e garantir a validade de cada ação a ser implementada.

Qual é o objetivo de um estudo de mercado?

A razão pela qual as empresas gastam tempo e esforço estudando o mercado está focada em aumentar a conscientização de seus clientes. Em termos gerais, o propósito fundamental de qualquer empreendimento comercial é vender. E isso só é possível quando todo o modelo de negócios está alinhado para atender às expectativas das pessoas.

É por isso que realizar uma pesquisa de mercado relevante permitirá que você melhore seu processo de tomada de decisão.

Com isso você conquistará novos clientes criando uma marca sólida que irá muito além das tendências: os compradores perceberão sua preocupação em ser cada vez melhor e não hesitarão em ser fiéis à sua empresa.

Vantagens de realizar um estudo de mercado

  • Ele permite que você preveja o que vai acontecer: Um bom estudo permitirá que você coloque dados infinitos na tabela que o ajudarão a prever o futuro. Para onde o mercado se moverá? Que novos interesses o público-alvo apresentará? Agora você terá uma noção bastante completa para responder a esses tipos de perguntas.
  • A empresa aperfeiçoará o design de produtos ou serviços: Graças a novas informações sobre as necessidades, interesses ou problemas dos usuários ao usar o que você vendeu. Dessa forma, inicia-se um processo iterativo no qual você pode remodelar seus processos de fabricação até obter produtos e serviços de primeira linha. Mas acima de tudo, atenda às expectativas de seus clientes.
  • Otimização da experiência do usuário: Um bom estudo de mercado terá como objetivo ter um impacto positivo na forma como os clientes interagem com os produtos. Para isso, sua usabilidade, vida útil, qualidade, entre outros parâmetros semelhantes, devem ser revistos.
  • Delimitação de novas estratégias de marketing: Existe a possibilidade de um empreendimento com produtos excelentes acabar fracassando por não conseguir atingir as pessoas. A solução é fazer uma pesquisa de mercado para descobrir a que tipo de marketing seu público-alvo é suscetível. Uma vez que você tenha essas informações, será suficiente criar uma estratégia para explorar essas oportunidades.

Tipos de pesquisa de mercado que podem ser realizadas

Dependendo do grau de profundidade que se deseja atingir e dos meios disponíveis para isso, haverá dois tipos de pesquisa de mercado. Que? Os seguintes:

Estudo de mercado primário

Recebe esse nome porque é a empresa em primeira pessoa que vai lidar com cada uma das fases do estudo de mercado. Para isso , recorrerá a métodos qualitativos e quantitativos para completar uma base de informações que lhe permita melhorar seus processos.

Uma boa prática a ter em conta é encontrar uma forma de entrar em contato direto com os consumidores finais. Com o objetivo de que eles próprios expressem sua opinião sobre os produtos ou serviços da marca.

Para que tudo isso funcione, é necessário que a empresa planeje todo o processo de estudo. Para que os dados coletados de diferentes fontes sejam complementares e agreguem ainda mais valor.

De referir que no caso de empreendedores iniciantes pode ser um pouco complicado recorrer a um estudo primário. Por isso será muito importante atribuir tal função a um membro que realmente tenha o treinamento necessário para fazê-lo. Não há lugar para improvisações!

Estudo de mercado secundário

Neste caso, a pesquisa será realizada a partir de fontes externas. Para isso, devem ser consultados terceiros que realmente ofereçam informações válidas e verificadas. Pode ser o caso de empresas governamentais, mídia ou agências especializadas em comércio.

É importante que esta informação seja credível e que seja publicada em sites de consulta populares, como jornais ou páginas web. Existem até fontes educacionais que podem ser de grande ajuda na obtenção de mais dados. Especialmente no caso de universidades e bibliotecas.

Métodos comuns de um estudo de mercado
  • Pesquisas: Consiste na apresentação de um questionário com perguntas qualitativas ou quantitativas abertas ou fechadas a pessoas de interesse. É um meio eficaz porque permite registrar dados que lhe oferecerão informações em primeira mão. Além disso, seu uso é muito prático, pois hoje em dia você pode realizar pesquisas in loco ou aproveitando as ferramentas digitais.
  • Entrevistas: Se você deseja obter uma perspectiva mais específica, esta é a opção para você. É uma reunião individual onde você pode perguntar a uma pessoa sobre as informações que você precisa saber. O melhor de tudo, os dados serão diretos e sem intermediários.
  • Grupos focais: Neste caso, o estudo de mercado será possível graças ao encontro de um grupo de pessoas com características específicas. Todos eles serão liderados por um moderador responsável por gerenciar o fio da conversa para garantir que os resultados sejam obtidos. Com este método você poderá saber mais sobre a impressão geral que as pessoas têm sobre sua empresa, produto ou serviço.
  • Observação: Consiste em trazer pessoas para usar seus produtos ou experimentar os serviços que você oferece. Dessa forma, você pode tomar nota de como eles interagem com eles para tirar conclusões.

Como fazer um estudo de mercado?

O processo para realizar o estudo de mercado é dinâmico. Isso significa que ele pode mudar dependendo das informações que você precisa saber em um determinado momento.

No entanto, como regra geral, existem seis etapas que você deve percorrer: elas vão desde a definição dos objetivos até a tomada de decisão final. Aqui explicamos o que fazer em cada uma dessas fases:

Passo 1: Defina o objetivo e os problemas

Este será sempre o primeiro passo ou então sua pesquisa de mercado estará fadada ao fracasso. Para evitar que isso aconteça, você deve saber por que deseja fazer uma investigação: Qual é a variável a ser determinada?

A partir desta premissa você estará em condições de reconhecer o problema da empresa e estabelecer objetivos que possam resolvê-lo.

Um bom conselho é seguir a filosofia SMART que indica que seus objetivos devem atender a algumas características específicas. A saber: ser específico, mensurável, alcançável, realista e temporário (tenha um início e um fim marcados no calendário).

Além disso, essas metas serão o melhor juiz quando se trata de medir o sucesso ou o fracasso de seu estudo de mercado. Depois de definir as metas, cuide para cumpri-las!

Passo 2: Definir o projeto de pesquisa

Neste ponto você já sabe que existem duas variantes de pesquisa de mercado: primária e secundária. É hora de decidir! Qual deles favorece seu processo investigativo? Quais recursos você tem ao seu alcance? Quanto tempo você tem antes de tomar uma decisão? Essas são algumas perguntas que você deve se fazer ao definir o design do seu estúdio.

Passo 3: Realize a coleta de dados

É hora de começar a trabalhar e buscar as informações que você precisa. Esta fase será condicionada pelo tipo de estudo que pretende realizar: Primário ou Secundário? Assim você saberá se deve apontar para o público na primeira pessoa ou ir em busca de fontes documentais que permitam validar um ponto.

Seja qual for o caso, você deve garantir que a fase de coleta seja bem projetada e livre de vícios ou condições indesejadas. Lembre-se que é muito importante que os dados obtidos representem fielmente a realidade do mercado.

Passo 4: Analise os resultados

Você já tem as informações que esperava, então é hora de traduzi-las em resultados. Como? Através de uma fase de análise em que você usa todo o seu senso crítico para detectar os sintomas que o mercado tentou lhe comunicar.

Passo 5: Faça o relatório de investigação

Dentro do mundo dos negócios é muito importante registrar tudo. E como pode parecer evidente, o caso dos resultados de um estudo de mercado não é exceção.

Você pode conseguir isso por meio de um relatório onde você resume todos os resultados encontrados. Mas você também deve indicar o desenho da investigação e as fontes consultadas. Isso permitirá que você mantenha um histórico que pode ser um bom material de referência no futuro.

Passo 6: Tomada de Decisão

Você ainda não terminou! Chega a fase crucial para a qual o estudo de mercado em questão foi desenvolvido: é preciso tomar decisões consistentes com as informações coletadas e os resultados obtidos.

Ele considera que a fase de tomada de decisão é tão importante quanto o estudo em si. A boa notícia é que sua decisão será baseada nos sinais que o mercado lhe ofereceu. Isso significa que há uma boa chance de que suas ações tenham um impacto positivo na forma como você se relaciona com os consumidores.

Perguntas comuns para um estudo de mercado

Como explicamos em nosso curso para empreendedores, é necessário que o estudo de mercado seja focado em abranger várias frentes: meio ambiente, concorrência e tendências de compra de potenciais clientes formulando as perguntas certas. Como os listados abaixo:

  • Quão satisfeito está o público com os produtos? Essa é uma afirmação clara para detectar a aceitação da oferta da empresa. Se os resultados forem positivos, a estratégia atual deve continuar. Caso contrário, é melhor girar 180°.
  • Por que as pessoas escolhem determinados produtos? Isso fornecerá uma noção das necessidades, interesses e problemas que moldam o mercado. A empresa deve agir para adequar sua estratégia comercial e de marketing de acordo com as respostas obtidas. Com isso você terá conquistado boa parte da receptividade do público.
  • O público-alvo conhece o produto? Através desta pergunta cumpre-se um duplo propósito: diagnostica-se o posicionamento da empresa no mercado ao mesmo tempo que se mede a força dos seus concorrentes.

Confira mais conteúdos em nosso site. Aproveite e compartilhe em suas redes sociais. Alguma sugestão no que podemos melhorar? Deixe nos comentários.

Entendendo os verdadeiros custos da mineração na América Latina

Você aceitaria um negócio que lhe oferecesse lucros limitados e despesas infinitas?

Na América Latina, a mineração é fortemente promovida como fonte de avanço econômico. Os governos promovem a extração como fonte de emprego e financiamento para novos hospitais, escolas, estradas e outras infraestruturas. Até esse ponto, parece um bom negócio. Confira mais em mineração brasil para saber mais.

Mas isso é apenas metade da história. O que eles não falam sobre – em comunicados de imprensa ou Estudos de Impacto Ambiental – são todas as desvantagens da mineração, incluindo impactos em perpetuidade , danos ambientais que persistem por séculos ou mesmo milênios.

Entre os muitos danos da mineração – raramente mencionados para as comunidades que convivem com os projetos – dois se destacam:

Modificações severas da paisagem: por exemplo, a escavação de uma mina a céu aberto em uma montanha ou o preenchimento de um vale com resíduos de mineração.

Contaminação de fontes de água: por exemplo, geração de ácido e liberação de metais tóxicos em rios, córregos e outras fontes de água; ou o aumento de nitratos e amônia derivados de explosivos.

Em países como os Estados Unidos, os danos são discutidos em processos de avaliação ambiental e existe legislação tanto para avaliação quanto para mecanismos de mitigação.

Na América Latina, os promotores de grandes projetos de mineração muitas vezes não entendem que os custos de longo prazo desses megaprojetos superam em muito seus benefícios e se estendem muito além do ciclo de vida ativo da mina.

Após seu fechamento e abandono, as minas a céu aberto precisam de manutenção constante para minimizar o risco de colapso (que nunca desaparece). As fontes de água devem ser continuamente monitoradas e tratadas para evitar contaminação tóxica.

Quem vai pagar pelos danos da mineração?

Muitas vezes é difícil saber quem deve assumir os custos da mineração porque depende de vários elementos diferentes: marcos legais, força institucional e fatores sociais.

Em muitos países, os governos exigem que as mineradoras construam e instalem sistemas de monitoramento e remediação (poços, estações de tratamento de água e drenos, por exemplo). Em outros casos, eles são solicitados a pagar os custos operacionais desses sistemas por um período de tempo.

Os países mais exigentes solicitam um seguro de remediação (ie Reclamation Bonds), bem como uma contribuição para fundos financeiros cujos rendimentos serão destinados a tais medidas. É o caso do Superfund, que administra a remediação de aproximadamente 1.341 instalações industriais nos Estados Unidos. Mas mesmo assim, essas políticas geralmente subestimam os custos de longo prazo, deixando os documentos fiscais para cobrir o restante das despesas.

De acordo com o Center for Science in Public Participation, o governo teria que pagar entre US$ 3,8 e US$ 20 bilhões para remediar os danos das minas de metal no oeste dos Estados Unidos.

Em outros países, os resíduos ambientais da mineração não recebem muita atenção. No Canadá – frequentemente citado como um exemplo a ser seguido pelos governos da região – a mina Tulsequah Chief, na Colúmbia Britânica, vem liberando águas ácidas não tratadas desde 1957.

Mineração na América Latina

Embora muitas nações latino-americanas tenham regulamentações relacionadas à mineração, a maioria carece de leis específicas que estabeleçam procedimentos padronizados para monitorar e reparar seus danos. Algumas nações, como Bolívia e Colômbia, ainda carecem de uma definição legal para Responsabilidade Ambiental Mineira ou dívida por danos ambientais.

Diante de uma regulamentação fraca, o fechamento de uma mina é acompanhado por ações isoladas e ineficazes – como o simples plantio de vegetação na área afetada. Como não está claro quem deve ser responsabilizado, as poucas ações de monitoramento e remediação que existem muitas vezes acabam sendo abandonadas.

Outro fator importante na região é que o dano ambiental vem não apenas da mineração legal, mas também ilegal e – no caso da Colômbia, onde os lucros da mineração estão sendo usados ​​para alimentar conflitos – até mesmo atividades criminosas de mineração.

No Chile, a deterioração ambiental é em grande parte produto de minas de metal legais que foram abandonadas. Na Bolívia é mais frequentemente o resultado da mineração artesanal e cooperativas. Na Colômbia, a mineração ilegal e em pequena escala despeja mercúrio nos rios. No Peru, a mineração de ouro causa sérios danos à saúde humana e ao meio ambiente.

Em toda a América Latina, os danos históricos da mineração podem ser encontrados em depósitos minerais que datam da era colonial… mas nossos recursos continuam sendo explorados.

Por que a prevenção é fundamental?

As cicatrizes permanentes que a mineração deixa exigem atenção constante e um nível de financiamento impossível de garantir ao longo do tempo. E dada a sua gravidade, só é possível mitigar parcialmente, não remediar completamente, os danos mais graves.

É por isso que estamos promovendo a prevenção, em vez de remediação. Junto com organizações e comunidades locais, estamos trabalhando para garantir que os projetos de mineração sejam submetidos a processos de avaliação adequados antes de serem autorizados e que os riscos que eles implicam para as comunidades e o meio ambiente sejam bem compreendidos.

Defendemos a avaliação com base na melhor informação científica disponível; pedimos que contemple alternativas e seja realizado de forma independente para garantir resultados objetivos. Se a análise descobrir que um projeto gerará danos perpétuos que não podem ser gerenciados adequadamente, ele deve ser rejeitado.

Queremos que os tomadores de decisão entendam: a mineração de rocha dura nem sempre é um bom negócio e sempre causa danos ambientais. Continuaremos trabalhando para garantir que os governos da América Latina entendam esse fato.

Diferença entre cartões de crédito e débito

O mundo das finanças é muito extenso e isso significa que sempre haverá uma opção que atenda cem por cento às suas necessidades. Os cartões de crédito não são exceção. Os bancos têm principalmente dois tipos de cartões e cada um tem qualidades e especificações diferentes. É por isso que no queremos falar sobre as diferenças entre cartões de crédito e débito , para que você possa escolher o que melhor se adapta à sua situação e como deseja usá-los.

Características e benefícios dos cartões de crédito e débito

Como mencionamos anteriormente, cada tipo de cartão possui vantagens e condições diferentes . Isso significa que podemos sempre buscar a opção que melhor nos convém para poder realizar nossas operações. Alguns desses recursos geralmente são acompanhados de detalhes técnicos, portanto, se você tiver alguma dúvida, sempre poderá verificar com seu banco com mais detalhes.

  • Limitações nas transações : Os cartões sempre têm um limite econômico para seu uso. Se for um cartão de débito, esse limite será marcado pelo dinheiro que temos na conta. Por outro lado, nos cartões de crédito o limite é definido pelo banco em um valor fixo que será acordado com o cliente.
  • De quem é o dinheiro? : No que diz respeito aos cartões de crédito, como o nome sugere, é uma quantia em dinheiro que o banco te deixa e que depois tem de ser devolvida. No cartão de débito, o dinheiro está disponível gratuitamente, pois é seu.
  • Forma de pagamento : Quando você tem cartão de débito, os pagamentos são feitos instantaneamente com o dinheiro na conta. Com cartão de crédito, estes são debitados no final do mês e podem dar a possibilidade de os financiar a partir de um determinado valor junto do banco.
  • Dinheiro : Os cartões de débito permitem que você tenha dinheiro a qualquer momento. As de crédito, por outro lado, estão associadas à cobrança de comissões quando você deseja ter dinheiro.
  • Solicitação de cartão : Há uma grande diferença entre o processo de solicitação de uma opção ou outra. Para o cartão de débito, em geral, basta ter uma conta aberta no banco. Por outro lado, para o cartão de crédito, o banco costuma solicitar uma folha de pagamento, pois o uso do referido cartão implica um endividamento que a entidade deve ter certeza de que será pago.
  • Segurança : Ambos possuem mecanismos de proteção. No entanto, os cartões de crédito costumam ter um seguro antifurto que oferece certa cobertura, enquanto os cartões de débito geralmente só podem ser cancelados ou bloqueados.

Benefícios dos cartões de crédito e débito

Uma vez que conhecemos as principais características dos diferentes cartões, é hora de falar sobre os benefícios que podem ser obtidos deles. Estes dependem, mais uma vez, da finalidade para a qual pretende utilizar o cartão em questão.

  • Cartão de débito : Permite a disponibilidade imediata de dinheiro. As compras são refletidas diretamente no saldo da conta, o que permite visualizar o fluxo em tempo real. Os custos de manutenção são geralmente mais baixos.
  • Cartão de crédito : Os pontos fortes desta modalidade estão nas formas de pagamento. Ao cobrar as compras no final do mês, essas cobranças podem ser gerenciadas com mais flexibilidade, podendo parcelar. Além disso, tem maiores benefícios em termos de segurança.

Caso você tenha interesse sobre a melhor maquininha de cartão – Tiramos suas dúvidas.

Como saber se um cartão é de crédito ou débito

Escolher o cartão certo para cada um não é um processo fácil. Para tomar a decisão certa, o mais importante é rever a situação pessoal e ser muito claro sobre o uso que será dado ao referido cartão. Também devemos estar bem informados de todas as características que cada opção possui, perguntando ao nosso banco todos os termos e condições que elas possuem.

Confira mais conteúdos em nosso site. Aproveite e compartilhe em suas redes sociais. Alguma sugestão no que podemos melhorar? Deixe nos comentários.

Como escolher uma agência de marketing digital?

Nesta era do marketing digital, houve um rápido crescimento do investimento online e um aumento na disponibilidade de plataformas de publicidade. Todos os tipos de negócios também estão respondendo bem à demanda do consumidor e investindo fortemente em ter uma presença online. A agencia de marketing digital é muito procurada e desempenha um papel multidimensional e complexo na entrega de campanhas e projetos digitais de forma inteligente e rápida.

Mas como escolher a agência de marketing digital certa?

Verifique as habilidades e credibilidade da agência.

Mantenha os mesmos critérios de seleção de quando você contrata um funcionário permanente para sua empresa. É importante certificar-se de que a agência web possui profissionais qualificados e competentes para oferecer um resultado de qualidade à sua empresa. A agência deve ser capaz de atingir os objetivos dentro do prazo estipulado e deve assumir bem a responsabilidade, assim como os demais membros da equipe da empresa.

Eu perguntei por

Ao escolher a agência, é importante fazer perguntas detalhadas sobre as habilidades e habilidades de seus funcionários, uma lista de clientes anteriores com quem trabalharam e seus comentários. Pergunte a eles quais despesas você terá e veja como seu relacionamento com eles funcionará no longo prazo.

Sabe o que é desejado

Antes de contratar a agência de marketing, você precisa saber qual problema específico deseja resolver, como visibilidade da marca ou aumento de tráfego. Ao definir suas metas e KPIs antecipadamente, você pode garantir que obtém o que pediu. Muitas vezes as agências saem do orçamento e isso aperta o bolso, por isso é importante decidir o orçamento com bastante antecedência.

Personal externo o interno

Muitas agências preferem contratar freelancers para sua tarefa, em vez de ter funcionários internos realizando o trabalho. Isso não é um problema, a menos que eles garantam que os funcionários terceirizados também estarão disponíveis para manutenção posteriormente. Às vezes, os funcionários terceirizados são melhores do que os funcionários internos, pois podem ser especialistas na área e isso pode ser financeiramente lucrativo para a empresa.

Acompanhamento e relatórios de projetos

Às vezes, sua agência de marketing digital desaparece de repente e a empresa não tem nada a fazer para acompanhar a evolução do marketing. Portanto, perguntar sobre gerenciamento de projetos e acompanhamento de progresso por meio de ferramentas e métricas é altamente recomendável. Perguntar a eles sobre as métricas de desempenho garante que você se preocupe profundamente em obter resultados e entregá-los no prazo.

Leve em consideração os comentários de clientes anteriores

É muito importante levar em consideração os comentários de clientes anteriores em tempo hábil, pois é tarde demais se eles forem informados sobre a agência depois de assinarem o contrato com ela. Às vezes, você se arrepende de não levar em consideração o feedback anterior do cliente e se arrepende quando as coisas dão errado em um estágio posterior. Uma boa maneira de verificar as avaliações é visitar a seção de avaliações da listagem do Google Meu Negócio da agência de marketing. Mas também é aconselhável perguntar à agência sobre seus clientes quando você tiver decidido sobre isso, pois é imparcial conversar com seus clientes em um estágio inicial.

Negocie para obter a melhor cotação

Na hora de escolher a agência certa, é aconselhável comparar as cotações com outras possíveis concorrentes daquela agência, pois você quer fazer o melhor investimento do seu dinheiro e não se arrepender depois. A negociação desempenha um papel importante aqui, pois você pode obter os melhores negócios dentro do seu orçamento se fizer certo, sem comprometer o valor do trabalho. Ao incluir uma cláusula de rescisão no contrato, você dá à agência um prazo para lhe fornecer seus produtos dentro de 3 a 6 meses e, caso isso não aconteça, você pode tomar a decisão de continuar com eles ou não.

Conheça o time

É uma boa ideia conhecer os membros da equipe que trabalharão para você. Dessa forma, você poderá ter uma ideia das habilidades deles e do potencial que eles têm para atingir seus objetivos. Às vezes, a equipe projetada pode ser muito diferente da equipe real e pode não ser capaz o suficiente para atingir os objetivos que você espera dela. Além disso, visitando seu escritório pessoalmente, você conhecerá a real cultura de trabalho da agência e garantirá que você tome a decisão certa.

Portanto, para ter uma plataforma de marketing online de sucesso para sua marca, tenha em mente os pontos mencionados acima e reduza o risco de fazer investimentos errados. Ao escolher a agência de marketing digital certa para sua marca, você pode ter certeza e obter bons resultados no futuro.

Confira mais conteúdos em nosso site. Aproveite e compartilhe em suas redes sociais. Alguma sugestão no que podemos melhorar? Deixe nos comentários.

« Older posts Newer posts »

© 2022 Cidan Dicas

Theme by Anders NorenUp ↑