Andar de bicicleta por prazer, estar em forma, fazer amigos, ter pernas bonitas… Seja qual for o motivo, está comprovado que andar de bicicleta é benéfico para a saúde. Nunca é tarde para começar, mesmo em idade avançada os resultados são óbvios.

Andar de bicicleta regularmente reduz o risco de ataque cardíaco em até 50%

“Aqueles que pedalam regularmente economizam em consultas médicas”, diz o Dr. Proböse, presidente do Centro de Saúde da Universidade Alemã de Esportes. “Muitas pessoas que sofrem de queixas típicas, como dores nas costas, estão acima do peso ou têm doenças cardiovasculares, podem desfrutar de muitos anos de boa saúde se decidirem usar mais a bicicleta”.

Ótima notícia para quem pensa que está “crescido”: mesmo que você não comece a se exercitar regularmente até tarde na vida, os resultados são sempre palpáveis.

O que a bicicleta faz pela saúde?

Direto para o coração e sistema cardiovascular . Andar de bicicleta regularmente reduz o risco de ataque cardíaco em até 50%. Com o exercício de pedalar, a frequência cardíaca máxima aumenta e a pressão arterial diminui: o coração trabalha economizando. O colesterol LDL ( o  “ruim”) também será reduzido, os vasos terão muito menos probabilidade de calcificar, enquanto o colesterol HDL ou “bom” aumentará. Os vasos sanguíneos permanecem flexíveis e saudáveis ​​quando as pernas se movem todos os dias.

Para a máxima eficiência do exercício, recomenda-se o trabalho intervalado, com frequentes mudanças de ritmo. É o tipo de treino que te faz melhorar mais rápido. Aqueça em ritmo fácil, com alta cadência de pedalada, alcance um ritmo de corrida e depois alterne, a cada 15 minutos, aumentos de intensidade por 3 a 4 minutos em que sua respiração fica consideravelmente agitada (80 a 85% da sua frequência cardíaca máxima ).

Atacando as costas Quando a posição ideal no selim é adotada, com o tronco levemente inclinado para frente, os músculos das costas ficam sob tensão e são forçados a estabilizar o tronco . Muitas dores nas costas são decorrentes da inatividade, o que faz com que a nutrição dos discos intervertebrais seja reduzida e eles percam a capacidade de absorver impactos. A falta de exercício também provoca a atrofia dos músculos das costas, o que diminui escandalosamente sua função de “mola”. Movimentos regulares das pernas fortalecem a região lombar e previnem o aparecimento de hérnias de disco, mantendo a coluna protegida de vibrações e choques.

Além disso, o ciclismo estimula os pequenos músculos das vértebras dorsais, fazendo com que se comprimam e se estendam constantemente com a pedalada, músculos que são muito difíceis de trabalhar com qualquer outro esporte.

É bom compensar com alguns exercícios abdominais, como encolher os ombros toda vez que você pedalar.

Você também pode se interessar pela aquisição de um seguro de bike para manter a sua bicicleta sempre segura.

Um presente para os joelhos

Diferentemente das atividades em que há rebatidas, como pular ou correr, com a bicicleta os joelhos trabalham protegidos, já que 70 a 80% do peso corporal gravita sobre a cadeira. É a melhor alternativa à corrida, com benefícios físicos muito semelhantes, pois na bicicleta nem as articulações nem a cartilagem suportam cargas elevadas. Quando as articulações são mobilizadas com pouca pressão, os nutrientes podem facilmente alcançá-las e as substâncias benéficas se difundem nelas.

Evite usar marchas muito duras para manter os joelhos saudáveis ​​e tente não deixar sua velocidade de pedalada cair abaixo de 70 rpm em nenhum momento.

Ele afasta infecções e câncer

Cada vez que andamos de bicicleta damos um impulso ao poder do sistema imunológico. As células “comedoras de bactérias” do corpo, os fagócitos, são imediatamente mobilizadas pedalando para matar bactérias e células cancerígenas. Esta é a razão pela qual as pessoas com câncer e AIDS são aconselhadas a andar de bicicleta.

Dr. Froböse ressalta que andar de bicicleta é bom “para pessoas que sofrem de um processo cancerígeno. É como se as células responsáveis ​​pela defesa do organismo, que estavam adormecidas, fossem despertadas pedalando de uma letargia prolongada”.

Esforços moderados fortalecem o sistema imunológico, enquanto os de intensidade máxima o enfraquecem. Em caso de exposição a fatores de risco (frio, pessoas já infectadas nas proximidades, estresse, pouco sono…), é preferível não fazer um trabalho muito intenso e esperar o equilíbrio antes de realizá-lo.

Adeus às preocupações

O cérebro é mais oxigenado e permite que você pense com mais facilidade. O corpo secreta hormônios que nos fazem sentir melhor e que podem se tornar viciantes, um vício saudável em qualquer caso. Está comprovado que quem anda de bicicleta regularmente sofre menos de doenças psicológicas e depressões. Andar de bicicleta é um dos melhores antidepressivos naturais que existem.

As endorfinas , também chamadas de hormônios da felicidade , são geradas com o exercício físico , principalmente quando ficamos na bicicleta por mais de uma hora.